31
mar
10

A crônica de Jaime Medeiros Jr.: Pequena jornada

.

Pequena jornada, por Jaime Medeiros Jr.

.02

Peguemos agora esta pequena condução que está a nos aguardar lá fora. Façamos uma breve viagem de reconhecimento de nossa pequena região. Primeiro dirijamo-nos ao norte. Observemos a noite escura, toda a família chegando ao porto do Rio, vindos da terrinha, sem saber uma palavra sequer em português. Salim, aos 3 anos, ali em meio deles. O pai com um bilhete onde se tem o endereço de um conhecido, que talvez lhe saiba orientar onde moram os parentes, o bilhete metido ao acaso no bolso, e que resistiu todos os meses de viagem até o Brasil. O pai tenta mostrar o bilhete a alguém que lhe decifre o conteúdo, pouca luz, mesmo ali embaixo do poste de alumiar, descobre o chofer de praça, um preto, que busca ao bolso uma caixa de fósforos e diz “luz”, “luz”. O pai finalmente entende, “nur”.  O bilhete se decifra, e o negro os conduz até a casa daquele conhecido, em segurança. E eles chegarão até seus parentes.*

.

.

Rumemos agora a oeste, procuremos outra paragem agradável. Então divisamos o bebê durante o seu despertar. Observemo-lo, e vejamos “o de um tudo” que se dá neste momento, ele a emergir do estado de inconsciência para o de tomar ciência do mundo. Mas dependendo da rapidez com que fará a passagem da inatividade para a atividade, logo em seguida poderá estar em alerta máximo, o que no bebê se confunde com o choro, “alerta vermelho”, onde tudo se quer e nada se tem, e aí já se perdeu a ciência de tudo. Neste momento se tiveres um pediatra por perto, ele tolherá a atividade dos braços que certamente estão se movendo convulsamente, e se não houver fome, deverá ser o suficiente para que ele retorne àquele alerta calmo. Senão só uma madona, a consoladora, de colo e seios fartos o fará acalmar. Donde podemos concluir, a ciência é filha do estado de alerta calmo, com que se emerge da inconsciência. Nur na escuridão.

.


.

Sigamos a nossa jornada. Repousamos um pouco. Estamos no sul, agora nos deparamos com uma sociedade “primitiva”. E no centro daquele acampamento, temos uma fogueira, o encontro de todos diante daquela luz, ao lado temos um poste, “um poste de alumiar”, um eixo que nos liga com um outro lugar. Sempre que levantarmos acampamento, leva-se o poste. Sempre que assentarmos em um outro qualquer lugar, ergue-se o poste, e tudo em suas cercanias se alumia. Dessa nossa luz se faz o mundo e a ciência daquilo que é e se alumia, e daquilo que não é e permanece na escuridão. Nur na escuridão.

.


.

Depois de tudo, ainda nos resta o leste. Estamos ao pé do mestre, ele fala a uma turma atenta e silenciosa, uma aula sobre foco narrativo, e nos mostra que o narrador pode ser onisciente ou descer as imanências da coisa esquecendo-se de quem é, e nos contar a história feita com os olhos de carne de quem também tem história e tentar descortinar o mundo com a luz de seu pequeno isqueiro. Mas no fim, ainda resta a mesma velha pergunta, quem nos narra essa história? Nur na escuridão?

* História que se encontra em “Nur na escuridão”, de Salim Miguel, e que aqui relato de memória e um tanto adaptada à exigüidade do texto.

.

Jaime Medeiros Jr. é poeta portoalegrense (1964), pediatra. Autor do livro de poemas Na ante-sala. Um dos produtores do Portopoesia. Colabora no blog Filhos de Orfeu – http://filhosdeorfeu.blogspot.com/

.

.


Anúncios

1 Response to “A crônica de Jaime Medeiros Jr.: Pequena jornada”


  1. 31 de março de 2010 às 11:50

    mas um acerto do jaime. abraço.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


março 2010
S T Q Q S S D
« fev   abr »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Categorias

Blog Stats

  • 717.339 hits

Top Clicks

  • Nenhum
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: