31
ago
11

A prosa ligeira de Jaime Medeiros Jr.: Brincar seria uma coisa séria?

.

.

Brincar seria uma coisa séria?, por Jaime Medeiros Júnior

 

E tudo parece ter começado mais ou menos assim:

– Ele [numa quase interjeição de contentamento]: é brincadeira o que fizeste!

– Ela: não, não, não é brincadeira, é coisa séria!

– Ele: pois então, brincadeira é uma coisa séria!

 

 

As palavras lhe pareciam ter saltado da boca. Logo percebia ter-se deixado levar pela força da retórica. O pitoresco ali, no entanto, era o gostinho de verdade que parecia se combinar àquelas palavras. Algo no que dissera dizia e dizia bem, dizia coisa com coisa. E tudo parecia estar contido naquele susto, naquele despreparo, com que vieram a ter ali.

Agora se queria sério. E numa tentativa de explicar-se, diz: já notaste o nível de atenção e envolvimento com que as crianças brincam? – Isto, contudo, não parecia suficiente para convencê-la da arguição. E nem mesmo ele parecia tão convencido do que dissera, tão rápido tudo acontecera para que se pudesse ter qualquer certeza que fosse. Certezas são todas feitas de tempo, o tempo certo do certo cair do pé.

Outros chegam, sentam a mesa. O que os obriga a mudarem o rumo da prosa. A noite finda.

[mais tarde em casa]. O engasgo, aquela promessa de verdade, nele inda não se resolvera, não falhara, mas também não se confirmara. Foi remexer seus guardados. Topou com uma citação do Houaiss onde se explicava: o étimo Brinc- advém de vinc- “que segundo Antenor Nascentes deriva-se de brinco, do latim vincùlum,i  [liame, laço, atadura]”. Aqui começava a se confirmar aquilo que ele intuíra [lembrara?]. Brincar parece ter relação com a nossa necessidade de nos sentirmos pertencentes a algo maior, este maior começa já ali no outro ao nosso lado. É um convite a festa, a pôr-se em volta de um aparente nada central, a andar em roda, e estabelecer um espaço de estreitamento das relações, de comunhão. Também parece uma forma de nos organizarmos no universo. Aqui, no mais das vezes, o tempo é cíclico, e o espaço circular. Aqui ninguém perde, ninguém ganha, todos tem o seu lugar na roda. É lembrar os escravos de Jó, as rodas das cantigas de roda, o telefone sem fio.

Então dá-se conta num repente, o universo pacífico da brincadeira está diametralmente oposto ao do jogo, que é o da disputa, o da guerra, o da busca da perfeição no desempenho. O brincar normalmente nos põe em círculo [e mesmo quando o circulo não se destaca numa figura, num desenho, há de se encontrar um círculo na estrutura cíclica da brincadeira, lembremos a amarelinha ou das cinco marias (a que Pessoa chama cinco pedrinhas – clique no link para o poema do menino jesus, talvez uma das brincadeiras mais sérias que já se viu)]; a disputa, o jogo obriga a nos pormos em campos antagônicos, a termos um antagonista, um enfrentamento, portanto precisamos de uma figura como o quadrado ou retângulo que em sua formação tem a dualidade por base. Aqui o tempo costuma nos contar uma história. Não quer se repetir. Estas estruturas simples, circular e quadrangular, constroem visões de mundo também antagônicas. A da guerra e a da paz. O mais interessante é que ambas parecem lidar com a questão da morte e da impermanência, mas enquanto uma parece querer compreender a morte, reservando-lhe um lugar na economia do universo, a outra parece querer negá-la, lutando contra o mal. O outro, nesse caso a morte, torna-se o nosso inimigo.

Talvez, pensa ele, tudo isto possa nos fazer entender porque os alquimistas herdaram dos geômetras o problema da quadratura do círculo e, quem sabe, também lembrar a ela porque brincar é uma coisa das mais sérias que há.

Jaime Medeiros Jr. é poeta portoalegrense (1964), pediatra. Autor do livro de poemas Na ante-sala. Mantém os blogs Tênues Considerações e O Arco da Lira.

A prosa ligeira de Jaime Medeiros Jr. aparece neste blog quinzenalmente às quartas-feiras.

 

.


 

Anúncios

1 Response to “A prosa ligeira de Jaime Medeiros Jr.: Brincar seria uma coisa séria?”


  1. 5 de setembro de 2011 às 09:42

    Jaime, me enlaço em teu círculo, ato meus dedos aos teus e brinco… que texto!!

    Um beijo, boa semana e sempre carinho.

    Carmen Silvia Presotto


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


agosto 2011
S T Q Q S S D
« jul   set »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Categorias

Blog Stats

  • 712.865 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: