Arquivo para 21 de novembro de 2011

21
nov
11

Palavraria indica: livros de Alain de Botton

.

.

Conhecido mundialmente por abordar em sua obra temas ligados à vida cotidiana, tais como o amor, a arquitetura, a literatura e a religião, o filósofo suíço Alain de Botton está em Porto Alegre, nesta segunda, 21, participando do seminário internacional Fronteiras do Pensamento. A propósito,  indicamos duas recentes edições brasileiras de livros do autor.

.

.

Em Religião para ateus, o filósofo – e ateu obstinado – Alain de Botton discute o principal erro do ateísmo moderno: negligenciar os aspectos relevantes das religiões após o descarte dos princípios centrais das fés. Embora, em um primeiro momento, a discussão a respeito da existência ou não de Deus possa ser considerada como um divertido exercício, ao observar os ritos e conceitos morais que regem as religiões, o autor propõe um passo adiante. Dissecadas, crenças, como cristianismo, judaísmo e budismo, podem ser compreendidas como arcabouços éticos estruturados por nós para atender à demanda humana de viver em comunidade, controlando sua tendência à violência, estimulando hábitos essenciais, como a compaixão e o perdão, e reconfortando mente e corpo diante do sofrimento. Com uma linguagem acessível e provocativa, Alain de Botton discute como as religiões são sábias por não esperar que lidemos sozinhos com nossas emoções e sugere como a sociedade contemporânea pode fazer uso dessas ferramentas para mitigar alguns dos males mais persistentes e negligenciados da vida secular. Ao descartar os dogmas e o sobrenatural, o autor propõe o resgate de uma sabedoria que pertence a toda humanidade, inclusive aos mais céticos.

 .
 .

Em um avião percorrendo o trecho Paris-Londres, um homem e uma mulher sentam lado a lado. Um puxa conversa, o outro corresponde. E, junto à esteira de bagagens, ele já tem certeza de que está apaixonado por Chloe. Este enredo todo mundo conhece, mas o que faz de Ensaios de amor um livro único é a profundidade com que o autor analisa cada uma das emoções envolvidas num relacionamento, fazendo uso de um gênero híbrido entre narrativa e ensaio. Alain de Botton, ao lançar seu olhar de filósofo sobre os meandros do amor, produz um livro que é um convite à reflexão sobre os sentimentos muito delicados e até mesmo nebuloso, sobre os quais muitas vezes se prefere calar, como aquilo que não é dito no primeiro encontro, ou a hesitação em dizer “Eu te amo”.

A presença de Alain de Botton entre nós vem de certa forma afirmar um fato cultural já notório: a filosofia aplicada aos temas do cotidiano volta a interessar. A propósito disso lembramos que as inscrições para o Curso de Filosofia da Unisinos encerram nesta terça, 22/11, e o vestibular acontece no próximo sábado, dia 26/11. Veja informações mais detalhadas em http://bit.ly/rQKH1u.

Serviço:

Religião para ateus, Editora Intrínseca – R$ 19,90

Ensaios de amor, Rocco & L&PM Editores – R$ 16,00

Reserve seu exemplar – palavraria@palavraria.com.br, 3268 4260
ou venha até a loja: Rua Vasco da Gama, 165 – Bom Fim

.

.

Anúncios
21
nov
11

Aconteceu na Palavraria, neste sábado, 19/11: lançamento do livro “A menina e o mendigo”, de Charles Kiefer & Abertura do encontro Vereda Literária

.

.

19, sábado: lançamento do livro A menina e o mendigo, de Charles Kiefer e abertura do Vereda Literária  2011.

.


.

.

.

.

.

.

.

.

.


.

.

.

.


.

.



.

.


.

.

.

.

.

.

.


.

.

.


.

..

.

21
nov
11

Nesta segunda, 21, na Palavraria, 19h: Diversão e respeito, com Carlos Urbim, Cláudio Levitan e Mário Corso

.

.

21, segunda, 19h30: Diversão e respeito, com Carlos Urbim, Cláudio Levitan e Mário Corso. 

A relação do autor com o leitor na literatura infanto-juvenil. Como se faz literatura para crianças e jovens hoje.

Carlos Urbim nasceu em Sant´Ana do Livramento, no dia 4 de fevereiro de 1948. Transferiu-se para Porto Alegre, onde graduou-se em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Desde 1968 atua como profissional junto aos principais meios de comunicação rio-grandenses. Pai de Emiliano e Glauco, é casado com a jornalista Alice Urbim. Ocupou, entre outros, os cargos de diretor da Rádio da UFRGS, correspondente da revista IstoÉ, editor de Cultura da Folha da Manhã e do Diário do Sul, editor de cadernos de Zero Hora e editor de História da RBS TV.  Sua primeira obra de ficção para crianças, Um Guri Daltônico, foi lançada na Feira do Livro de 1984. Com Saco de Brinquedos, Urbim obteve o título de altamente recomendável da Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil. Com Rio Grande do Sul – Um Século de História, ganhou o Prêmio Açorianos de Literatura 2000, categoria especial. Também em 2000 foi condecorado com a Medalha Carlos Cavaco de Mérito Cultural, outorgada pela Câmara Municipal de Livramento. É cidadão honorário do município de Alvorada, título entregue pela Câmara de Vereadores em 2002. Em 2006, a nova edição de Bolacha Maria obteve o Prêmio de Livro Infantil do Ano da Associação Gaúcha de Escritores e o autor também recebeu o troféu Homem de Destaque do Ano, entregue pela Liga Feminina de Combate ao Câncer de Livramento. Em 2009, passou a ocupar a Cadeira nº 40 da Academia Rio-grandense de Letras e foi eleito patrono da 55ª Feira do Livro de Porto Alegre, além de receber a Medalha do Mérito Farroupilha, outorgada pela Assembléia Legislativa, e a Medalha de Porto Alegre, entregue pela Prefeitura Municipal em 2010. Entre 3 e 6 de novembro de 2011 participa, como patrono brasileiro, da 2ª Feira Binacional do Livro, evento na divisa entre Santana do Livramento e Rivera. Crédito da foto: Rodrigo Migliorin.

Cláudio Levitan, (8 mar 1951, Porto Alegre, RS) é arquiteto, com mestrado na Inglaterra, mas suas atividades atuais são a música e a literatura infantil. Autor dos CDs “O Primeiro Disco”, “Minha Longa Milonga”, “Opereta Pé de Pilão”, “Projeto LP”, “Canções do Livro das Crianças Perdidas” e “Avulsas”, com os quais ganhou vários prêmios, entre eles, Açorianos, Tibicuera, Itaú Cultural e o reconhecimento da UNESCO com o seu trabalho “Minha Longa Milonga”, “pelo respeito à diversidade, à tolerância e ao diálogo cultural”. Escreveu o livro infantil “O Porão Misterioso”, L&PM, Prêmio Açorianos de Literatura Infantil 2001; “Pimenta do Reino em Pó”, L&PM, indicado ao Prêmio Açorianos de Literatura Infanto-Juvenil 2007; “Porto Alegre no Livro das Crianças Perdidas”; escreveu “Tangos e Tragédias em Quadrinhos”, com desenhos de Edgar Vasques, L± participou de antologias de contos como “Caio de Amores”, “Nós, os gaúchos”, “Contos no Solar”, “101 que Contam”, “Brevíssimos” e “Histórias de Quinta”. Transformou em História em Quadrinhos o livro- poema “Pé de Pilão”, de Mario Quintana, L&PM (Edição esgotada).

Mário Corso é psicanalista, membro da APPOA (Associação Psicanalítica de Porto Alegre). Formado em psicologia pela UFRGS, trabalha com adolescentes e adultos. Em 2002 lançou Monstruário – Inventário de Entidades Imaginárias e de Mitos Brasileiros pela editora Tomo, Menção Honrosa do prêmio Jabuti, numa tentativa de revitalizar figuras esquecidas do folclore nacional. Publicou o livro Fadas no Divã: psicanálise nas histórias infantis, em 2005, e Psicanálise na Terra do Nunca: ensaios sobre a fantasia, em 2010, ambos pela Ed. Artmed, escritos em parceria com sua esposa Diana Corso. Publica artigos, ensaios e crônicas em diversos meios de comunicação.

.

.

.


21
nov
11

Nesta terça, 22, na Palavraria: Emoção e consciência, com Diego Grando, Marco de Menezes e Israel Mendes. Vereda Literária.

.

.

22, terça,19h30: Emoção e consciência, com Diego Grando, Marco de Menezes e Israel Mendes.

A poesia é emoção do poeta trazida à tona por meio da linguagem. A linguagem é forma consciente de expressar a emoção do poeta. Autores falam sobre o equilíbrio (ou desequilíbrio) da consciência e da emoção na poesia.

Diego Grando nasceu em Porto Alegre em 1981. Licenciado em Letras na UFRGS, atualmente conclui um mestrado em Escrita Criativa na PUCRS, para o qual prepara seu segundo livro de poemas. Começa em seguida um doutorado em poesia na Université Sorbonne Nouvelle. Desencantado carrossel é seu livro de estréia.

Marco de Menezes, nascido a 04 de junho de 1968 em Uruguaiana/RS, está radicado há mais de 20 anos em Caxias do Sul/RS. Participou de coletâneas e antologias regionais, entre as quais “Matrícula Dois” (1998), onde figura como representante da nova geração de poetas da Serra Gaúcha, sucedânea do grupo de poetas dos anos 60 e 70 – onde estavam incluídos, entre outros, Oscar Bertholdo, Jayme Paviani e José Clemente Pozenato. Em 2003, em parceria com o músico Vinicius Todeschini, assinou a obra autoral “Arrebaldeação”. Em 2006, organizou e apresentou a coletânea “3″, que reúne a produção de três poetas contemporâneos de Caxias do Sul (Dhynarte de Borba e Albuquerque, Fabiano Finco e Odegar Junior Petry). Em 2007, participou como letrista no álbum “Percussivè”, do violonista e compositor gaúcho Felipe Azevedo, com quem mantém parceria. Ainda neste ano, trabalhou como letrista da composição da trilha do curta-metragem de Bruno Polidoro “O vazio além da janela”, em parceria com os músicos Camila Cornutti e Léo Ferrarini. Em 2009 lançou o seu terceiro volume de poemas pela editora Modelo de Nuvem, da qual é sócio. Em 2010 recebeu o prêmio Açorianos na categoria Poesia e Livro do Ano. Além disso, neste ano lançou “Ode Paranoide”, livro de poemas com ilustrações de Marina Polidoro. Possui quatro volumes de poesia publicados: “As Horas Dragas” (1999), “Pés de Aragem” (2007), “Fim das Coisas Velhas” (2009) e “Ode Paranoide” (2010).

Israel Mendes formou-se em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela PUCRS em 2001. Após 9 anos de experiência trabalhando com redação publicitária, passou a criar jogos eletrônicos, atividade que vem exercendo há 4 anos. Em 2010 reingressou na PUCRS e atualmente é estudante de Filosofia. Neste mesmo ano houve também sua estreia na literatura como escritor e poeta com a publicação do seu primeiro livro de poesias, Menino Perplexo. Atualmente, escreve para o Blog do Menino (www.mperplexo.wordpress.com), publicação onde exercita semanalmente sua produção literária.

.

.

A VEREDA LITERÁRIA é um evento anual, próximo ao período da Feira do Livro de POA, mas fora das mediações da Praça da Alfândega (não com o propósito de oposição, mas com o de adição: propor mais um caminho, ou mais uma vereda, que fomente novas discussões literárias). A realização do evento não tem fins comerciais e não conta com patrocínio. Por isso, essa Vereda é fruto do trabalho e doação dos seus idealizadores, da parceria de amigos ligados a área da literatura e cultura, e, é claro, da boa vontade dos participantes das ‘mesas’.

A proposta inicial são encontros entre autores novos ou mais experientes, com temas ligados ao fazer literário. Convocamos todos que, como nós, são apaixonados por literatura para participar e construir essa nova Vereda.

Curadoria: Leila D S Teixeira.
Idealização: Cris Moreira, Daniela Langer e Leila D S Teixeira.
Organização: Daniela Langer e Leila D S Teixeira.

.

.





novembro 2011
S T Q Q S S D
« out   dez »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Categorias

Blog Stats

  • 710.597 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: