Arquivo para 29 de setembro de 2012

29
set
12

A crônica de Clarice Müller: A lista do bem

.

.

A lista do bem, por Clarice Müller

.

A melhor coisa do mundo, dizem os apaixonados, é a reconciliação. Eu também gosto de usufruir esse momento, em que os conflitos deságuam num entendimento que dá gosto e tudo vira paixão. Nesta semana, por exemplo, minha briga com Porto Alegre conheceu o outro lado da moeda, o do amor, do júbilo por tudo que esta cidade me propiciou. Também, o que queriam? Teve Porto Alegre em Cena, FestiPoa revisitada, lançamento de Solidão Continental do João Gilberto Noll e do livro de haikais do Diego Petrarca,  Cabaré do Verbo bombando cada vez mais, convites pra dar entrevista, escrever, recitar, conversar, gente querida chegando, tragos e mais tragos a pretexto, em suma, movimento pra todos os lados, o que dizem ser muito bom pra saúde, ainda que nem sempre a gente jogue no mesmo time. Anyway, pra contrabalançar essa animação toda, tem a mansidão boa repousando ao lado da cama, nos livros com quem compartilho a intimidade das madrugadas, benditas madrugadas. A saber: 1) “O espírito da prosa” do Cristóvão Tezza é uma lição de inteligência e elegância numa área que não costuma dar muito chá, a dos ensaios, mas como ele é bom em tudo que faz, dá pra ler até quando o sono pisca no cerebelo, esse cara é grande e tem que ser lido, no question; 2) na mesma seara, mas indo mais pros lados da imaginação, “A louca da casa”, da Rosa Moreno, que comecei e larguei há tanto tempo que perdi o fio da moeda, mas o bom do livro é que ele fica ali, paradinho, até eu dar outra espiada nele – teu dia chegará, Rosa, me aguarde; 3) o autor premiado da semana, vencedor póstumo do Prêmio São Paulo de Literatura, Bartolomeu Campos de Queirós, com seu primeiro livro adulto, creio, “Vermelho Amargo”, numa edição primorosa da Cosac Naify, só 69 pagininhas além de tudo, mas em cuja leitura já patinei duas vezes, simplesmente vagando e vagueando em meio a tanto tomate até que empaquei de vez, então volta pra pilha, tadinho; 4) para garantir o brilho do escrete, tem “Passeios na ilha” com Drummond, delícia, delícia, tiro mais certeiro não há, o mestre faz gol sempre, vai ser gauche na vida lá em casa, uai; 5) e, pra não dizer que não falei de sangue, “O instinto de morte”, do Jed Rubenfeld, para os  dias de chuva em que preciso ler romances policiais pra não me transformar numa serial killer, não me perguntem a razão, faz favor. Então a pilha da semana é essa, mas a pilha B já está se alinhando, com dois livros de contos de autores que estiveram na FestiPoa desta semana dando um banho de literatura e sensibilidade, “Antes que os espelhos se tornem opacos” de Juarez Guedes Cruz, e “Em que coincidentemente se reincide”, da Leila Teixeira, tipo de livro que não apenas promete, cumpre tudinho, para minha grande alegria (e da Palavraria, onde estes tesouros te aguardam). E agora me digam, sobra tempo pra escrever no meio disso tudo? Que a resposta seja sim, sempre sim, sim, sim, sim, sim, sim, sim, SIM.

.

Clarice Müller é natural de Porto Alegre, onde já trabalhou como atriz, bancária, servidora pública e escritora quando a inspiração permite. Participou das oficinas de criação literária de Charles Kiefer e Luis Augusto Fischer e publicou, em conjunto com o também escritor Cláudio Santana, o livro de narrativas curtas VEROVERBO. Atualmente auxilia o amigo Fernando Ramos na coordenação da FestiPoa Literária e outros projetos afins. Ocasionalmente escreve no blog http://verbovero.blogspot.com.br/

.

.

Anúncios



setembro 2012
S T Q Q S S D
« ago   out »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Categorias

Blog Stats

  • 708.873 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: