Arquivo para 17 de dezembro de 2012

17
dez
12

Vai rolar na Palavraria, nesta quarta, 19/12, o lançamento do livro A saúde por um fio: submissão voluntária de afastados de frigoríficos de aves, de Leandro Inácio Walter

program sem

.

19, quarta, 19h: Lançamento livro A saúde por um fio: submissão voluntária de afastados de frigoríficos de aves, de Leandro Inácio Walter. Editora Abecer e IP Editora.

saúde por um fioO livro é fruto da dissertação de mestrado em Psicologia Social e Institucional da Universidade Federal do Rio Grande do Sul realizado através do grupo de pesquisa Laboratório de Psicodinâmica do Trabalho sob a orientação do Dr. Álvaro Merlo. A pesquisa surge do enorme contingente de trabalhadores que adoece no setor de frigorífico de aves em uma unidade protutivo localizado no Rio Grande do Sul. O livro  retrata o cenário produtivo brasileiro em frigorífico de aves e traz o relato de trabalhadores que adoeceram  neste ramo produtivo, principalmente as LER/DORTs e patologias mentais, tal qual seu método de produção. Tais adoecimentos trazem inúmeras consequencias a vida destas pessoas, muitas delas irreversíveis se consideradas a cronificações das doenças do trabalho não tratadas nos primeiros sintomas. Além disso, o relato dos trabalhadores demonstrou a dificuldades dos trabalhadores de terem reconhecidos o seu adoecimento seja dentro da empresa, pela previdência social, familiares e amigos e pela socidade em geral. Tal cenário configura, além do sofrimento já posto pelo adoecimento, o incremento da desasistência  e vulnerabilidade social a que ficam submetidos estas pessoas. A saída para muitos obterem reconhecimento pela sua situação é a judicialização dos direitos sociais básicos.  A metodologia utilizada foi a Psicodinâmica do Trabalho para comprleandro inácioeender os processos de prazer e sofrimento experienciadas no cotidiano dos afastados estudados. A fala e escuta nos encontros com os trabalhadores no seu sindicato favoreceu a perlaboração e a reapropriação do vivido pelos sofrimentos decorrentes da estigmatização, além de possibilitar trocas sobre direito do trabalhador afastado, contribuindo no exercício da cidadania bem como a desindividualização do sofrimento.

Leandro Inácio Walter é psicólogo, mestre em psicologia social e institucional pela UFRGS.

.

.

Anúncios
17
dez
12

Programação de 17 a 22 de dezembro de 2012

program sem

.

17, segunda, 19h: Lançamento do livro Diário de Londres, de Bruno Nogueira Lanzer.

diário de londresO livro “Diário de Londres” traz impressões de um caminhante solitário, na terra da Rainha, durante três meses, com curiosidades, dicas, registros e ilustrações que podem ser uteis para aquelas pessoas que queiram saber um pouco mais sobre Londres a partir de uma experiência pessoal.

bruno nogueiraBruno Nogueira Lanzer é gaúcho e gremista. Nasceu em Porto Alegre, em 1985. Formou-se em economia e fez mestrado na UFRGS. Atualmente, cursa mestrado na Queen Mary, University of London.

.

.

19, quarta, 19h: Lançamento livro A saúde por um fio: submissão voluntária de afastados de frigoríficos de aves, de Leandro Inácio Walter. Editora Abecer e IP Editora.

 

saúde por um fioO livro é fruto da dissertação de mestrado em Psicologia Social e Institucional da Universidade Federal do Rio Grande do Sul realizado através do grupo de pesquisa Laboratório de Psicodinâmica do Trabalho sob a orientação do Dr. Álvaro Merlo. A pesquisa surge do enorme contingente de trabalhadores que adoece no setor de frigorífico de aves em uma unidade protutivo localizado no Rio Grande do Sul. O livro  retrata o cenário produtivo brasileiro em frigorífico de aves e traz o relato de trabalhadores que adoeceram  neste ramo produtivo, principalmente as LER/DORTs e patologias mentais, tal qual seu método de produção. Tais adoecimentos trazem inúmeras consequencias a vida destas pessoas, muitas delas irreversíveis se consideradas a cronificações das doenças do trabalho não tratadas nos primeiros sintomas. Além disso, o relato dos trabalhadores demonstrou a dificuldades dos trabalhadores de terem reconhecidos o seu adoecimento seja dentro da empresa, pela previdência social, familiares e amigos e pela socidade em geral. Tal cenário configura, além do sofrimento já posto pelo adoecimento, o incremento da desasistência  e vulnerabilidade social a que ficam submetidos estas pessoas. A saída para muitos obterem reconhecimento pela sua situação é a judicialização dos direitos sociais básicos.  A metodologia utilizada foi a Psicodinâmica do Trabalho para comprleandro inácioeender os processos de prazer e sofrimento experienciadas no cotidiano dos afastados estudados. A fala e escuta nos encontros com os trabalhadores no seu sindicato favoreceu a perlaboração e a reapropriação do vivido pelos sofrimentos decorrentes da estigmatização, além de possibilitar trocas sobre direito do trabalhador afastado, contribuindo no exercício da cidadania bem como a desindividualização do sofrimento.

Leandro Inácio Walter é psicólogo, mestre em psicologia social e institucional pela UFRGS.

.

.

20, quinta, 18h: Lançamento da revista Teorema – Crítica de Cinema, nº 21.

teorema 21

Teorema 21: é com certeza um números mais vibrantes de sua história.

Luiz Joaquim tira a temperatura da Febre do Rato;
Helena Stigger joga Cara ou Coroa;
Gabriel Carneiro atraca em Porto dos Mortos;
Enéas de Souza ausculta O Som ao Redor;
Fabiano de Souza repensa A Vida Útil;
Fatimarlei Lunardelli encontra Paulo Emílio Salles Gomes;
Ivonete Pinto conversa com Jean-Claude Bernardet;
Milton do Prado trafega por Cosmópolis;
Vicente Moreno foge para Moonrise Kingdom;
Leonardo Bomfim desfruta de Um Verão Escaldante;
Chirstian Petermann viaja com Holy Motors;
Daniel Schenker peregrina para Além das Montanhas;
Marcus Mello celebra Minha Felicidade;
Paulo Henrique Silva cerca Um Alguém Apaixonado;
Cristian Verardi destrincha 13 Assassinos.

Para coroar, a entrevista com o luminoso Dudley Andrew, autor do livro As Principais Teorias de Cinema, presente em 11 dentre 10 estantes dos amantes da sétima arte.

Na capa: Robert Pattinson em Cosmópolis, de David Cronenberg.

.

21, sexta, 19h: Um som e uma pausa: o poema e a canção. Sarau Oficinas Ronald Augusto.

 Sarau de encerramento dos alunos da oficina de poesia de Ronald Augusto, apresentando algumas músicas e poemas produzidos ao longo do curso dedicado ao exercício da canção e do poema. A dialética do capricho e do relaxo entre essas artes consanguíneas mas não idênticas.

 

Pequena Amostra

 

Oriki da cheia

Denise Freitas

Muita força em repouso num cinza frágil.

Rios e rios que eram um.

Cume pra marca da água,

cimo sem monte.

Ilha ao redor de tudo.

Entulho. Sobra da margem.

Podre: muito nem dá pro gasto.

No lado de fora, por cima,

o silêncio todo de dentro das coisas.

Casario nesse escuro de lago fundo.

Barro. Santíssima Bárbara deslavada.

Três dias lentos fazendo água e mais nada.

Deisi Scherer Beier

os olhos ardiam e, iludidos, avistavam

miragens de coisas estéreis

não tinha voz para proferir

tímido pedido de socorro

no vazio, nenhuma palavra

em direção ao ceu

a despeito da chuva fina

tenho eu também olhado

aquele que me vê

carregando no ventre

outro deserto
 

Duas Letras

(Denise Freitas, Liana Sinara Marques e Deisi Scherer Beier):

Sem medo de sofrer

Não sei dizer

Onde está meu coração

Penso que foi bem pra lá.

Não vou mentir

Pra tentar te convencer.

Não vou gritar

O que o corpo já mostrou

Esse teu jeito

De partir sem dizer nada

Calar meu sossego

Disfarçado de razão

Inventar a calmaria

Abrir o meu peito

Pra te dar essa canção

Sem medo de sofrer.

Vem cá, vem dançar

Subi o morro da luz

Atrás de um bem pra sonhar

A noite vem devagar

Vem cá, vem dançar.

Meu samba seduz, também teu olhar

Dancei pra valer, morena meu bem.

Até pensei mal dizer

O meu amor por você

Mas te esquecer não vai dar

Vem cá, vem sambar.

.

22, sábado, 17h: 80 anos de barbárie: Robert E. Howard e a criação de Conan, palestra e debate com Carlos André Moreira, Cesar Alcázar e Carlos Thomaz Albornoz.

Conan-the-Barbarian

Em Dezembro de 1932, a notória revista pulp Weird Tales publicou a história que daria ao mundo um dos grandes ícones da Fantasia e da Aventura. Assim como Tarzan, Dracula ou James Bond, Conan, criação máxima do escritor texano Robert E. Howard, tornou-se um fenômeno pop que saltou das páginas da literatura para histórias em quadrinhos, filmes, séries de TV e jogos, conquistando para sempre o imaginário popular. Após 80 anos, o mito do bárbaro cimério continua mais vivo do que nunca. Para debater a trajetória deste grande personagem, e comemorar seu aniversário, os jornalistas Carlos André Moreira e Carlos Thomaz Albornoz se reunirão com o escritor Cesar Alcázar para um bate papo descontraído e  informativo.

Carlos André Moreira nasceu em São Gabriel em 1974. É jornalista, crítico literário e repórter do Segundo Caderno de Zero Hora. Mestre em Literatura Portuguesa pela UFRGS. Publicou o romance Tudo o Que Fizemos (2009) e já teve contos incluídos nas revistas Coyote e Etc. e nas antologias Contos Comprimidos e Ficção de Polpa: Crime. É um patife. Mantém e edita o blog Mundo Livro.

Cesar Alcázar é escritor, editor e tradutor. Nasceu em Porto Alegre no ano de 1980. Um dos criadores da Argonautas Editora. É autor dos livros Bazar Pulp – Histórias de Fantasia, Aventura e Horror (2012) e Cemitério perdido dos Filmes B (2010 – como Cesar Almeida).

Carlos Thomaz Albornoz é jornalista, pesquisador e crítico de cinema. Membro-fundador da ACCIRS – Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul. Programador da sessão Raros desde 2001. Colaborador de revistas como Cine Monstro, Teorema e Contracampo. Coautor do livro Voivode – Estudos sobre Vampiros.


.

.




dezembro 2012
S T Q Q S S D
« nov   jan »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Categorias

Blog Stats

  • 722.910 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: