Arquivo para abril \20\America/Sao_Paulo 2013



20
abr
13

Aconteceu na Palavraria: Gravação do programa Poesia Blues

. aconteceu .

Aconteceu na Palavraria, hoje, a gravação do programa POESIA BLUES: Marlon de Almeida recebeu para entrevistas e leituras os escritores Sidnei Schneider e Marcel Citro. Fotos do encontro.
O POESIA BLUES – levado pela Rádio Falando de Amor – tem sua versão inédita sempre aos sábados, 20h, com reprises ao longo da semana, aos domingos, 11h, terças, 20h, quintas, 10h e as sextas, 17h.

.

ages entrevista 01.

ages entrevista 02ages entrevista 03ages entrevista 04ages entrevista 05.

.

.

.

.

.

 

Palavraria - livros c.  

19
abr
13

Aconteceu na Palavraria, nesta sexta, 19, lançamento do livro Ranking dos maiores campeões de futebol do Brasil

.

aconteceu

.

Aconteceu na Palavraria, nesta sexta, 19, lançamento do livro Ranking dos maiores campeões de futebol do Brasil, de Flávio Scholant. Fotos do evento.

.

flávio scholant 01.

flávio scholant 02flávio scholant 03 flávio scholant 04 flávio scholant 05.

.

.

.

.

.

flávio scholant 06 flávio scholant 07 flávio scholant 08 flávio scholant 09.

.

.

.

.

.

 

Palavraria - livros c.

 

19
abr
13

Vai rolar na Palavraria, nesta segunda, 22: Lançamento do livro Pensar a Cultura

program sem

.

22, segunda, 19h: Lançamento do livro Pensar a Cultura,  primeiro volume da nova série Fronteiras do Pensamento.  organizado por Cassiano Elek Machado (Editora Arquipélago).

pensar a cultura

Pensar a cultura é o primeiro livro de uma série que se propõe a colocar em discussão os temas mais instigantes do mundo contemporâneo. Resultado de uma parceria entre o Fronteiras do Pensamento e a Arquipélago Editorial, a coleção tem como lastro o sólido repertório acumulado pelo ciclo de conferências ao longo dos últimos anos. Para aumentar a diversidade de ideias, cada obra terá o acréscimo de material inédito, como entrevistas, artigos e ensaios visuais.

Este volume de estreia, organizado pelo jornalista Cassiano Elek Machado, reúne o pensamento de grandes artistas e intelectuais – entre eles, dois ganhadores do Prêmio Nobel de Literatura, os romancistas Mario Vargas Llosa e Orhan Pamuk – em torno das questões culturais. O debate é ampliado com a publicação das conferências do cineasta Wim Wenders, do escritor Michel Houellebecq, do jornalista Tom Wolfe e do escultor Richard Serra. Para completar, uma entrevista exclusiva do crítico Tzvetan Todorov, um artigo do romancista Mia Couto e um ensaio visual da artista plástica Mayana Redin.

.

.

 

19
abr
13

Vai rolar na Palavraria, neste sábado, 20: Lançamento do livro A espiral, de Tuca Rosa

program sem

.

20, sábado, 19h: Lançamento do livro A espiral, de Tuca Rosa 

espiral

Amante da poesia desde criança, Tuca Rosa abriu as gavetas, arrecadou os cadernos de escritos que guarda deste a infância e selecionou uma primeira leva de textos, que compõe seu primeiro livro de poemas. Segundo o compositor Flávio Oliveira, que assina a apresentação de “A Espiral”, Tuca Rosa mostra sua força poética em linguagem sutil e delicada, revelada na contramão das modas. Por tabela, “faz com que mergulhemos em nossas perplexidades, ao mesmo tempo em que nos joga para fora, fazendo com que nos defrontemos com a realidade complexa de um mundo de fissuras e incompletudes”. O livro foi estruturado em sete partes, em uma organização que faz sentido para a autora, mas que talvez não tenha lógica nenhuma para o leitor. “Essa é a melhor parte. Não sei o que estou dizendo para o leitor nos poemas, pois ele tem a leitura dele”, avalia a escritora. Em relação aos temas, há o tempo, a passagem de tudo, a efemeridade – vida e morte, afinal.

.

.

 

19
abr
13

Aconteceu na Palavraria, quarta, 17, o lançamento do livro A textura das nascentes, de Ricardo Almeida

.

aconteceu

.

Aconteceu nesta quarta, 17, o lançamento do livro A textura das nascentes, de Ricardo Almeida. Fotos do evento.

.

ricardo almeida 01.

ricardo almeida 02ricardo almeida 03ricardo almeida 04 ricardo almeida 05.

.

.

.

.

.

ricardo almeida 06 ricardo almeida 07 ricardo almeida 08ricardo almeida 09.

.

.

.

.

.

ricardo almeida 10 ricardo almeida 11 ricardo almeida 12 ricardo almeida 13.

.

.

.

.

.

 

Palavraria - livros c.

 

19
abr
13

Vai rolar na Palavraria, neste sábado, AGES Entrevista Aberta, com Marlon Almeida, Marcel Citro e Sidnei Schneider

program sem

.

20, sábado, 11h: AGES Entrevista Aberta. Marlon Almeida recebe Marcel Citro e Sidnei Schneider para bate-papo e leitura de textos

ages poesia blues

marcel citroMarcel Citro é gaúcho de Porto Alegre. Bacharel em Direito e em Administração de Empresas pela UFRGS, foi funcionário do Banco do Brasil, auditor do Tesouro Nacional e é atualmente magistrado. Contista premiado (2º e 1º lugares no concurso Histórias do Trabalho – edições 1994 e 1996), escreveu A Noite do Sáurio, livro de contos publicada em 2004 pela Editora Movimento, e Travessia – quinze contos peregrinos, publicado pela Editora da Cidade em 2011. Publicou em 2012, pela Editora Libretos, o romance Outonos de sangue.

SIDNEI SCHNEIDERSidnei Schneider é poeta, tradutor e contista. Autor dos contos de Andorinhas e outros enganos (Dhamer, 2012) e dos livros de poesia Quichiligangues (Dahmer, 2008), Plano de Navegação (Dahmer, 1999) e tradutor de Versos Singelos/José Martí (SBS, 1997). Participa de Poesia Sempre (Biblioteca Nacional/MinC, 2001), Antologia do Sul (Assembléia Legislativa, 2001), O Melhor da Festa 1 e 2 (Nova Roma, 2009; Casa Verde, 2010). 1º lugar no Concurso de Contos Caio Fernando Abreu, UFRGS, 2003 e 1º lugar em poesia no Concurso Talentos, UFSM, 1995, de um total de treze premiações. Publicou artigos, poemas, contos e traduções de poesia em jornais e revistas. Participa do projeto ArteSesc e é membro da Associação Gaúcha de Escritores.

marlon almeidaMarlon de Almeida é doutor em Letras pela UFRGS com tese sobre a poesia de Guilhermino Cesar. É autor dos livros: Histórias de um domingo qualquer (1994), Domingo desde a esquina (1997), Domingo de futebol (1997), Domingo de chuva (2000), Malabares ou clube dos incomparáveis (2003) – livro indicado ao Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira, Prosa do mar (7Letras/2008), vencedor do Prêmio da Associação Gaúcha de Escritores e do recente O pistoleiro e o guarda-meta de Bagé e outros poemas de acontecido (2012).

.

 

17
abr
13

A crônica de Guto Piccinini: Uma vida extra-ordinária

.

.

Uma vida extra-oridinária, por Guto Piccinini

.

Logo após a jornada de trinta minutos desde a admissão no hospital à saída da sala de parto, a equipe responsável por aquela menina de vinte e sete anos chegou a mais óbvia das conclusões: este  caso poderia ser registrado como o trabalho de parto mais simples da vida de cada um dos profissionais ali presentes. Enquanto saíam consternados com o acontecimento histórico, não puderam perceber a autora da proeza, que num misto de surpresa e choque, permanecia impávida, na tentativa de compreender este ser que minutos antes destacou-se de seu corpo de uma forma escorregadia e flácida em comparação com a dureza do mundo. Carregava consigo as inúmeras histórias de dor relatadas por companheiras de gravidez ou conhecidas próximas. E enquanto permanecia ali, com este ser em seus braços, sentiu apreensão por não identificar ao certo qual o sentido de ser mãe. Curiosa, seguiu com os olhos este mal fadado corpo, enquanto ela própria estranhava seu corpo. Sem perceber, nesse andar vagaroso compôs uma sintonia sutil, uma função penetrante, que apenas aos dois fariam sentido. Sem perceber, mirava os olhos desta pequena criatura com amor e ternura. Foi a primeira vez que algo brilhou naquele corpo intruso e esguio: tomado de puro ímpeto, inflou como um balão.

Embora permaneça um mistério para as muitas teorias científicas que buscaram produzir contornos para a caso, a vida deste garoto não fugia do que consideraríamos normal e corriqueiro a qualquer ser humano ordinário que frequentemente surge de bobeira por aí. Para a surpresa dos médicos, sua constituição surpreendentemente flácida garantia um tônus muscular (ou o que quer que seja aquilo que lhe compunha um corpo) suficiente para sustentar seu corpo em qualquer atividade do dia. Ainda mais nos momentos em que a cena descrita de seus primeiros minutos de vida repetia-se, e seu corpo inflava tal qual um balão, e o corpo lânguido ganhava contornos rijos e de uma vistosidade incomparável ao estado anterior. Assim permanecia até que novamente seus contornos iam relaxando vagarosamente até o ponto em que não havia tensão alguma visível. Vazio.

Sua impressão era de que deveria ter uma estima menor do que todos seus conhecidos. Mas não se sentia mal com sua diferença. Não mais do que qualquer um em sua volta. Era por vezes atravessado pelos olhares inquisidores e incompreendidos de pessoas que se surpreendiam com sua presença inusitada. Nestes momentos era tomado por um descontrole singular, que resultava em seu corpo inflado. Sofreu ordinariamente como todo ser humano em função dos amores da vida. Diferente, talvez, por sua condição especial, que conferiu um outro contorno às decepções amorosas: um furo com consequencias imprevistas. A cena se repetiu diversas vezes, mas ele não a temia mais do que cada um teme estar só com sua própria solidão. Por isso cercou-se de pessoas que mantinham este temor afastado. Neste carinho dos mais próximos, algo que ele não supunha relembrava o primeiro olhar oferecido por sua mãe, no primeiro respirar de sua pele.

.

Guto Piccinini, psicólogo, mestre em psicologia social e frequentador da Palavraria. Atualmente experimentando palavras.

.

.

16
abr
13

Cartas da Venezuela [01], por Lucas Reis Gonçalves

.

.

Carlita,

Hoje eu não trabalhei.

Passei o pouco tempo que me sobrava da semana passada tentando sacar qual era a desse país (tão aparentemente vermelho) em épocas de eleição. E te digo de antemão: não saquei. Os jornais daqui ilustravam as “atitudes” de campanha dos candidatos com a tinta da tensão venezuelana. Os daí mal liam os daqui e já espalhavam as boas e velhas notícias que toda direita ou toda esquerda gosta de ouvir. Tanto faz. Aqui ou aí, a gente sabe, tem gente de todo lado. E lado é o que não falta aqui. Os únicos dois que polarizam tudo que é vivo e morto nessas ruas de muita (e muita) poeira são suficientemente grandes e acolhedores. Repito: é lado pra mais de metro.

Quando cheguei, há quase dois meses, me diziam:

– De que lado tu tá?

– Não tenho lado nenhum. Sou brasileiro. Tô só observando! – eu falava, inocente.

– Como assim? Na Venezuela, a gente tem que ter lado. – todos respondiam (claro, os que respondiam).

Capriles-y-Maduro-2013

Adivinha… Lógico! Tomei um lado. Ou melhor: um lado me tomou. É assim. A relação entre mim e tal lado – como é a do venezuelano e o seu – é passional, quase carnal. E dessa maneira (e de outras ainda mais passionais) é que acontece a campanha, a conquista do voto, a paquera eleitoral. E que paquera! Deu três dias antes da eleição e eu já gritava o nome do candidato da oposição, cruzava os dedos durante os discursos televisivos e dizia, com orgulho, que era um brasileiro venezuelano.

Ontem, no nervoso e dividido domingo de votação, o venezuelano era um brasileiro em final de novela: vibrava com qualquer fofoca, gritava forte e ofensivo pelas janelas, batia frigideira e panela pela demora dos resultados – e só isso já era um resultado. E faziam festa também! Carros e casas não dispensavam a manifestação do voto através das músicas e gritos de apoio ao candidato que defendem (quase como a própria vida). E assim se seguiu antes, durante e depois dos resultados.

Passado o pequeno susto (de incredulidade, para alguns; de alívio, para outros), a farra toda mudou de foco, mas – querendo ou não – ainda era farra.

Hoje, como te disse, eu não trabalhei. Nem tinha como, convenhamos. O povo venezuelano, e agora eu, é como um chiclete de carne – e ontem a gente cansou de ser mascado.

Espero, sinceramente, que amanhã eu possa trabalhar. Ou não.

Um abraço gordo e bem apertado do outro LADO da nossa américa.

Lucas

 

lucas reisLucas Reis Gonçalves é poeta e articulador cultural. Novamburguense frequentador da capital gaúcha, formou-se em eletrônica e com ela trabalhou por mais de um ano – até descobrir, por inteiro, a literatura. Depois de três anos esboçando versos, publicou seu primeiro livro, Se soubesse o que dizer, diria em prosa (Paco Editorial, 2011), finalista do prêmio da AGES e, através dele, criou, juntamente com o músico Dado Vargas, um novo projeto de declamação poética: Eletropoeteria.

 

 

.

.

16
abr
13

Vai rolar na Palavraria, nesta sexta, 19, o lançamento do livro livro Ranking dos maiores campeões de futebol do Brasil, de Flávio Scholant

program sem

.

19, sexta, 19h: Lançamento do livro Ranking dos maiores campeões de futebol do Brasil, de Flávio Scholant (Editora Alcance)

ranking dos maioresVocê sabe quem é o maior vencedor entre todos os clubes brasileiros de futebol? E seu time do coração, em que posição estará entre os campeões? Quem está melhor posicionado? Grêmio ou Internacional? Palmeiras ou Corinthians? Flamengo ou Fluminense? Pois o engenheiro Flávio Scholant responde estas e outras questões em seu livro Ranking dos Maiores Campeões de Futebol do Brasil, que em breve será lançado pela Editora Alcance.

Um vasto trabalho de pesquisa foi feito para buscar todos os títulos oficiais registrados nas federações estaduais, CBF, Conmebol e FIFA, ao longo dos 110 anos de histórias de campeonatos dos clubes brasileiros, desde o primeiro Paulista, em 1902, vencido pelo São Paulo Athletic, até os atuais títulos de 2012.

Os critérios de elaboração do ranking foram criados antes de qualquer análise da pontuação dos clubes ou estados de maneira que o resultado fosse o mais justo possível e com a total isenção necessária.

A obra lista mais de 370 clubes de todos os recantos do Brasil em ordem de conquistas. Somando pontos através de competições oficiais desde os regionais passando pelo Brasileiro, Libertadores, Mundial.

O livro ainda traz um grande apanhado histórico com todos os vencedores de todos os campeonatos estaduais do Brasil desde seus inícios, além dos ganhadores da Libertadores, campeonato Brasileiro, Robertão, e outros torneios de relevância.

Uma obra de referência para todos os amantes do futebol.

flávio scholantFlávio Scholant nasceu em Bagé, no Rio Grande do Sul, e reside atualmente em Tramandaí, no mesmo Estado. Formou-se em Engenharia Civil, em 1986, pela UFRGS e Engenharia de Petróleo, em 2004, através do curso de formação da Universidade da Petrobras, onde trabalha até hoje. Faz sua estreia no mundo literário apresentando este trabalho de pesquisa e criação no qual desenvolve uma metodologia para definir um ranking histórico para o futebol brasileiro.

.

 

15
abr
13

Vai rolar na Palavraria, nesta quarta, 17, o lançamento do livro A textura das nascentes, de Ricardo Almeida

program sem

.

17, quarta, 19h: Lançamento do livro A textura das nascentes, de Ricardo Almeida (Editora Alcance).

a textura das nascentes convite

.

Os poemas de A Textura das Nascentes – quinto livro do autor – têm temas variados, e refletem a percepção do poeta diante da vida e suas experiências. Ricardo diz que seus poemas são a sua vivência filtrada pela sua sensibilidade. Considerado pela editora como um intenso livro de poemas, a obra apresenta um universo de sensações na vazão da beleza e da emoção.

Ricardo Almeida por Ágata MullerRicardo Almeida, poeta, cantor, compositor e engenheiro civil é natural de Sant’Ana do Livramento. Tem quatro livros de poesia publicados e dois CDs. Teve dois poemas selecionados no Prêmio Lila Ripoll de Poesia, promovido pela Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, e um poema selecionado no Concurso Histórias de Trabalho, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre. Ricardo foi um dos três premiados no Concurso Cultural Porto Alegre, Meu Lugar, promovido pelo Jornal Correio do Povo com apoio da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

.

 




abril 2013
S T Q Q S S D
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Categorias

Blog Stats

  • 751.665 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com

%d blogueiros gostam disto: