Arquivo para 12 de janeiro de 2014

12
jan
14

Vai rolar na Palavraria, nesta terça, 14: Lançamento do livro Banguela – A maior operação policial do sul do Brasil, de Marcio Pessôa.

program sem

.

14, terça, das 18 as 19h30: Lançamento do livro Banguela – A maior operação policial do sul do Brasil, de Marcio Pessôa.

banguela - márcioBanguela revela os bastidores da maior operação policial da história do Rio Grande do Sul e do maior esforço de integração entre as estruturas de segurança pública do Sul do Brasil. A obra é um raio X de um sistema à mercê de autoridades, geralmente de “vocação feudal”, com vícios políticos e insuficiência de recursos materiais e humanos.

A investigação jornalística revela informações sigilosas, que explicam decisões polêmicas de governo, tomadas em gabinetes de primeiro escalão. Banguela fomenta o debate sobre a divisão das polícias e a febre dos grampos telefônicos no Brasil, mostrando que escutas podem servir tanto para investigações sérias, como para crimes policiais.

O livro aponta uma “cola de investigação” feita pela Polícia Federal. Por meio de escutas em telefones de policiais civis, federais teríam acessado informações e montado uma “caçada” paralela a um bandido midiático. Banguela narra a morte do menino ATM, de 3 anos, durante uma operação policial, explicando como o caso permanece sem solução e por que, após alguns anos, a Justiça ainda não deu satisfações à família e, provavelmente, não dará. Jornalista brasileiro radicado na Europa há alguns anos, Marcio Pessôa segue atento a questões que dizem respeito à realidade nacional. Segurança pública, direitos humanos e cidadania sempre foram temas que atraíram sua atenção como repórter no Brasil.  A partir dessa vivência e de uma apurada investigação, criou o livro-reportagem Banguela, uma radiografia das mazelas e incoerências do trabalho policial no país.

marcio pessoaAtualmente, Marcio Pessôa divide seu tempo entre a Alemanha e a Grã-Bretanha.  Na Universidade de Sussex é doutorando em Estudos do Desenvolvimento, pesquisando Estado e Sociedade na África Austral. Na Alemanha, atua como jornalista na Deutsche Welle, uma das maiores emissoras de notícias do mundo, trabalhando com temas brasileiros e africanos. O convite para atuar na DW surgiu a partir do destaque alcançado como repórter e produtor no Rio Grande do Sul. Em seus 15 anos de jornalismo, teve diversas reportagens premiadas no Brasil e no exterior. A maioria dos reconhecimentos veio com matérias ligadas aos direitos humanos. Na área acadêmica, além do doutorado em andamento, possui mestrado em Sociedade Civil e Governança Democrática na Universidade de Osnabrueck, na Alemanha, com bolsa de políticas publicas e boa governança do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico. Marcio mantem um blog na internet que pode ser acompanhado em http://blogdopessoa.wordpress.com/

.

.

.

Anúncios
12
jan
14

Vai rolar na Palavraria, nesta segunda, 13: Lançamento da Revista Teorema 23 e do DVD Os filmes estão vivos

program sem

.

 

13, segunda, 19h: Lançamento da revista Teorema 23 e do DVD Os filmes estão vivos.

teorema

A edição 23 de Teorema coloca no centro de sua pauta o roteirista e cineasta Hilton Lacerda, que em 2013 fez sua estreia na ficção com Tatuagem, consagrado no último Festival de Gramado com vários prêmios (incluindo o de melhor filme). Um dos protagonistas da festejada cena de cinema de Pernambuco, primeiramente como roteirista de Baile Perfumado – um dos marcos do Cinema da Retomada – e parceiro constante de Cláudio Assis desdeTexas Hotel e Amarelo Manga, Hilton Lacerda lançou-se à direção de longas com o inventivo documentário Cartola – Música para os Olhos, co-dirigido por Lírio Ferreira, que preparou o caminho para a explosão criativa de Tatuagem, atualmente em cartaz nos cinemas brasileiros. A equipe da revista conversou longamente com Hilton em Gramado e o resultado pode ser conferido em uma entrevista de 12 páginas, complementada pelo texto de Milton do Prado sobreTatuagem.

A vigorosa safra brasileira deste ano também está contemplada através dos artigos assinados por Cid Nader sobre Riocorrente (de Paulo Sacramento), Ivonete Pinto sobre Avanti Popolo (de Michael Wahrmann) e Carla Schneider e Alexandre Rocha da Silva sobre Até que a Sbórnia nos Separe (de Otto Guerra e Ennio Torresan Jr.).

Já o cinema de língua inglesa ganha destaque em textos dedicados aAmor Bandido, terceiro longa de Jeff Nichols (por Fabiano de Souza), Passion, o mais recente Brian De Palma, inexplicavelmente ainda inédito no Brasil (por Filipe Furtado), e à volta por cima de Woody Allen, após uma fieira de filmes medianos, com o excelente Blue Jasmine (por Marcus Mello).

A delegação francesa comparece com o rigoroso Camille Claudel, 1915, de Bruno Dumont, analisado por Enéas de Souza, e à sensacional dobradinha que causou furor no último Festival de Cannes: Azul é a Cor Mais Quente, de Abdellatif Kechiche (por Leonardo Bomdim), e Um Estranho no Lago, de Alain Guiraudie (por Alexandre Santos).

A edição é complementada por análises de dois filmes monumentais, que tiveram concorridas exibições em Porto Alegre neste segundo semestre: o documentário Shoah, de Claude Lanzmann (em texto assinado a quatro mãos por Robson de Freitas Pereira e Lucia Serrano Pereira), e o canto de cisne de Raoul Ruiz, Mistérios de Lisboa, em artigo assinado pela nova revelação da crítica local, Pedro Henrique Gomes, estreando nas páginas da Teorema.

Boa leitura e feliz 2014 a todos.

 

.

.

.




janeiro 2014
S T Q Q S S D
« dez   fev »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Categorias

Blog Stats

  • 710.694 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: