Posts Tagged ‘educação



16
mar
13

Aconteceu na Palavraria, neste sábado, 16/03, lançamento do livro Escritas, leitores e história da leitura

.

aconteceu

.

Neste sábado, 16, Lançamento do livro Escritas, leitores e história da leitura, com apresentação de Cristina Rosa, Jane Felipe e Suyan Ferreira. Fotos do evento.

.

escritas, leitores 01.

escritas, leitores 02escritas, leitores 03escritas, leitores 04escritas, leitores 05.

.

.

.

.

.

escritas, leitores 06escritas, leitores 07escritas, leitores 08.

.

.

.

.

escritas, leitores 10escritas, leitores 11
escritas, leitores 09.

.

.

.

.

 

Palavraria - livros c.

 

Anúncios
11
mar
13

Vai rolar na Palavraria, neste sábado, 16/03: Lançamento do livro Escritas, leitores e história da leitura, organizado por Cristina Rosa

program sem

.

16, sábado, 18h: Lançamento do livro Escritas, leitores e história da leitura, organizado por Cristina Rosa. Apresentação do livro pela organizadora, por Jane Felipe e Suyan Ferreira (Editora da Universidade Federal de Pelotas)

lancamento_palavraria (2)

.

O livro Escritas, leitores e história da leitura reúne dez ensaios de professoras/es pesquisadoras/es de diversas áreas e regiões do país preocupadas/os com o tema da leitura e da escrita, tema esse bastante recorrente em várias publicações, mas cada vez mais importante, premente e atual. Os textos, cada um a sua maneira, dialogam com todos aqueles que também se inquietam com as questões educacionais do nosso país e com a formação de leitores.

A organizadora da obra, Cristina Rosa falará do seu artigo “Infância sem literatura: não em casa, na escola menos…” que discute o papel dos/as formadores/as de professores/as, com base em uma pesquisa desenvolvida com professoras alfabetizadoras do município de Pelotas (RS), que teve por objetivo conhecer os momentos de leitura realizadas em sala de aula e de que forma isto se dava. O estudo conseguiu mapear não só se as professoras liam, mas também o que era lido, quais os autores e títulos mais lidos, com que frequência e como elas descreviam os eventos de leitura.  Jane Felipe e Suyan Ferreira, no artigo “O Amor na Literatura Infantil: Uma Questão de Gênero?”, analisam como as relações amorosas são apresentadas ao público infantil. Com base na obra “Como mamãe e papai se apaixonaram” e sob a perspectiva teórica dos Estudos Culturais e das Relações de Gênero, as autoras examinam quais são e de que maneira certas identidades são legitimadas e reforçadas. As análises efetuadas apontam, a partir das imagens e do texto escrito, alguns eixos recorrentes que tratam da idealização do amor romântico, que se configuraria como um estado de plenitude, capaz de superar problemas e dificuldades. Além disso, o casamento também aparece como o ápice de uma relação amorosa. Outros temas, tais como a finitude das relações amorosas e a possibilidade de se estar feliz solteiro/sozinho também fazem parte dessas reflexões.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERACristina Rosa é professora da FaE/UFPel. Pedagoga, mestre (UFSM) e doutora em Educação (UFRGS). Possui pós-doutorado pela UFMG. Pesquisadora líder do Grupo Escritas, leitores e história da leitura (CNPq). Atua na formação de professores/as leitores/as, trabalhando com as disciplinas de literatura infantil, alfabetização e letramento e metodologias de alfabetização.

jane felipeJane Felipe é professora de graduação e pós-graduação da FACED/UFRGS. Psicóloga (UFRJ), Mestre (UFF/RJ) e doutora em Educação (UFRGS). Possui pós-doutorado pela Universidad de Barcelona. Integrante do GEERGE – Grupo de Estudos de Educação e Relações de Gênero – e do GEIN – Grupo de Estudos em Educação Infantil e Infâncias. Atua principalmente com os temas gênero, sexualidade, infâncias e educação infantil.

Suyan 2Suyan Ferreira é professora de graduação e pós-graduação da FAPA. Pedagoga (PUC/RS), mestre e doutora em Educação (UFRGS).  Atua também nos anos iniciais, tendo vasta experiência no campo da Educação Infantil. Pesquisa gênero, sexualidade, infâncias, literatura infantil, amor romântico.  Trabalha com as disciplinas de Educação e CulturaConcepções Educacionais Contemporâneas, dentre outras.

.

.

13
out
12

Vai rolar na Palavraria, nesta segunda, 15/10: Lançamento do livro A esperança da Pedagogia

program sem

.

15, segunda, 17h30: Lançamento do livro A esperança da Pedagogia. Paulo Freire – esperança e compromisso. Bate-papo com os organizadores, Adriano Vieira e Ana Lúcia Souza de Freitas.  (Editora Líber Livro).

.

.

O livro propõe-se como subsídio para reflexões de educadores e educadoras em processo de formação permanente, contribuindo para a preparação de novos professores e professoras que sonham e exercem a educação como instrumento de transformação. Além dos organizadores, participam como autores Carlos Rodrigues Brandão, Lúcio Gomes Dantas, Márcia Lopes Reis, Antônio Domingo Braço, Juan Miguel Batalloso, Maria Cândida de Moraes e  Guillermo Williamson Castro.

.

.

19
ago
12

Livros de Shermer já estão na Palavraria

.

.

O escritor Michael Shermer, psicólogo e historiador da ciência norte-americano, estará em Porto Alegre para conferência no Fronteiras do Pensamento no próximo dia 27 de agosto. Três de suas obras mais recentes em português (veja as sinopses abaixo) já estão à venda na Palavraria.

.

Ensine ciência a seu filho

Foi para os pais – cientistas ou não – que desejam manter viva a curiosidade dos filhos, que Michael Shermer escreveu Ensine ciência a seu filho.  A obra inclui uma introdução a assuntos de física, astronomia, química, biologia etc. Com termos simples, claros e corretos, explica conceitos básicos de tal forma que os pais podem facilmente entender e compartilhar com os pequenos – e nunca mais eles vão precisar responder “porque é assim”.

A obra é muito mais que um livro de conceitos científicos: ela ajuda a entender como se faz ciência e a usar o método científico no dia a dia. Com diversos exemplos e sugestões práticas, Shermer mostra maneiras de incentivar as crianças a buscar as respostas a tantas questões, iniciando-as no caminho do pensamento racional.

A abordagem, diz Shermer, deve ser de honestidade e de desafio constantes. Há dicas, por exemplo, de como lidar com dúvidas para as quais você não sabe a resposta e, mais importante, o que fazer quando você e seu filho não conseguem encontrar a resposta. O indicado em momentos como esses é dizer que a ciência se constrói exatamente de perguntas não respondidas (essas são sem dúvida boas perguntas) e que, quem sabe, um dia seu filho se torne um cientista para estudar aquele tema de forma mais profunda – e então finalmente achar uma resposta.

Para completar, o livro traz uma série de experiências que podem ser feitas em casa, com materiais comuns, uma forma divertida e educativa de se passar um tempo em família.

.

Por que as pessoas acreditam em coisas estranhas

Poucos podem falar com mais autoridade pessoal das crenças humanas do que Michael Shermer. Ele conta que se tornou cético depois de uma odisseia de dez anos pelo mundo da saúde alternativa e das terapias para melhorar a aptidão física. Em seu livro, Shermer aborda sob uma ótica estritamente científica temas como a negação do Holocausto, o criacionismo, as experiências de quase morte e a paranormalidade. Segundo ele, nada supera o método científico, que envolve a obtenção de dados para formular e testar as explicações dos fenômenos naturais, desenvolvido inicialmente nos séculos XVI e XVII.

Para Shermer, as pessoas acreditam em coisas estranhas porque faz parte da natureza humana procurar padrões, conexões de eventos, mesmo onde na verdade não existe nada. Seu livro serve como uma bússola ajudando a navegar pelo “frequentemente confuso desfile de afirmações e crenças que nos são apresentadas como histórias e padrões que fazem sentido”. Mas, acima de tudo, o autor demonstra que o cético não é um cínico nem um niilista. “O ceticismo é uma abordagem provisória das afirmações, é a aplicação da razão a todas as ideias”, diz. “O ceticismo é um método, não uma posição. Os céticos não entram numa investigação fechados à possibilidade de que o fenômeno seja real ou a afirmação seja verdadeira. Quando dizemos que somos céticos, queremos dizer que precisamos ver evidências concretas antes de acreditar.”

.

Cérebro e crença

Sintetizando trinta anos de pesquisas, o psicólogo e historiador da ciência Michael Shermer subverte o pensamento tradicional sobre como os humanos formam suas crenças referentes ao mundo. Em palavras simples, as crenças surgem primeiro e seus motivos vêm depois. O cérebro, afirma Shermer, é o motor da crença. Usando dados sensoriais que fluem a partir dos sentidos, o cérebro procura e encontra padrões, para depois infundir-lhes significado na forma de crenças. Concebidas as crenças, nosso cérebro subconscientemente busca evidências que as confirmem, acelerando o processo de reforço – e esse continua num feedback positivo. Em Cérebro e crença, Shermer oferece exemplos reais de como o processo ocorre, indo da política, economia e religião para teorias conspiratórias, crenças sobrenaturais e paranormais. Demonstra por que a ciência é o melhor instrumento já concebido para determinar se nossas crenças correspondem ou não à realidade.

.

Michael Shermer Professor e escritor norte-americano, é mestre em Psicologia experimental e Ph.D. em História da Ciência. Articulista semanal da Scientific American, é também fundador da Sociedade dos Céticos, instituição que publica a revista Skeptic e que investiga questões que se apresentam como paranormais ou supernaturais e que promove conferências com os principais nomes da ciência atual. De um cristão fervoroso na juventude até a mudança da faculdade de Teologia para Psicologia e Biologia, a diversificada história de vida de Shermer foi decisiva para que ele abordasse os mesmos questionamentos sob outros ângulos. Atualmente, divulga suas ideias pelo mundo através de palestras e escreve livros que rapidamente se tornam best-sellers.

.

.

21
dez
11

Aconteceu na Palavraria, nesta segunda, 19/12, o lançamento do livro Políticas educacionais em tempo de redefinições do papel do estado

.

.

Nesta segunda, 19, lançamento do livro Políticas educacionais em tempos de redefinições no papel do Estado: implicações para a democratização da educação, organizado por Vera Maria Vidal Peroni e Alexandre José Rossi. Os organizadores, acompanhados de orientandos e professores do Núcleo de Políticas e Gestão da Educação da UFRGS, autores dos textos, receberam convidados na Palavraria para a sessão de autógrafos que marcou o evento.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

10
nov
09

lançamento do livro Abecedário

Registro fotográfico do lançamento do livro Abecedário: Educação da diferença, de Sandra Corazza e Julio Groppa (organizadores) – sexta-feira, 6 de novembro de 2009.

.

DSC02144

.

Foto 1172

.

DSC02140

.

P1080380

.

Foto 1190

.

DSC02168

DSC02147

.

P1080376

.

mini logo




agosto 2019
S T Q Q S S D
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Categorias

Blog Stats

  • 717.319 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: