Posts Tagged ‘literatura argentina

22
abr
16

Vai rolar na Palavraria, neste sábado, 23, Bate-papo com o escritor José María Brindisi. Mediação de Reginaldo Pujol Filho.

.

ESTA SEMANA NA PALAVRARIA b

.

23, sábado, 17h30: Bate-papo com o escritor José María Brindisi. Mediação de Reginaldo Pujol Filho.

jose maria brindisiJosé María Brindisi nasceu em Buenos Aires em 1969. Escritor, crítico literário e professor de escrita criativa. Publicou o livro de contos Permanece oro (1996, Ed. Sudamericana) e os romances Berlín (2001, Sudamericana), Frenesí (2006, Emecé), Placebo (2010, Entropía) e La sombra de Rosas (2014, Atlántida). Ganhou, entre outros, os prêmios do Fondo Nacional de las Artes e o da Casa del Escritor. Foi colaborador dos jornais Perfil e Página 12, e também escreveu para as revistas Rolling Stone, Los Inrockuptibles, Latido, Teatro, Haciendo Cine e SH. Atualmente escreve para o jornal La Nación e para a revista Otra Parte e é diretor editorial da revista El Ansia, que também é editada na Bolivia e, em breve, sairá na Colombia. É professor de escrita criativa desde 1993. Dá aulas de escrita criativa na Casa de Letras, em Buenos Aires, além de oficinas particulares.

.

Palavraria - livros a.

.

 

Anúncios
29
ago
13

Aconteceu na Palavraria, nesta quarta, 28, Sarau das 6: Leituras e comentários sobre o livro Autoestrada do sul e outras histórias

.

aconteceu

.

Aconteceu nesta quarta, 28, mais uma edição do Sarau das 6: Leituras e comentários sobre o livro Autoestrada do sul e outras histórias (tradução de Heloísa Jahn) com Lígia Sávio, Jeferson Tenório e Gabriela Silva. Convidado especial: Sérgio Karam (organizador da coletânea). Na programação da Festipoa revisitada 2013. Fotos do evento.

.

autoestrada 01.

autoestrada 02autoestrada 03 autoestrada 04 autoestrada 05.

.

.

.

.

.

autoestrada 06autoestrada 07 autoestrada 08 autoestrada 09.

.

.

.

.

.

 

Palavraria - livros c.

 

26
ago
13

Vai rolar na Palavraria, nesta quarta: Sarau das seis, com leituras e comentários sobre o livro A autoestrada do sul e outras histórias Festipoa revisitada 2013

program sem

.

28, quarta, 19h: Sarau das 6, Leituras e comentários sobre o livro A autoestrada do sul e outras histórias (L&PM pocket, 2013, tradução de Heloísa Jahn) com Lígia Sávio, Jeferson Tenório e Gabriela Silva. Convidado especial: Sérgio Karam (organizador da coletânea). Na programação da Festipoa revisitada 2013

autoestrada_do_sulQuem pega um livro de Julio Cortázar (1914-1984) pela primeira vez está prestes a adentrar em mundo admirável e único: cheio de personagens estranhos, por vezes kafkianos, mas repletos de um sentimento próximo à ternura e até mesmo ao alumbramento infantil. A partir de experiências cotidianas e rotineiras ele lapidou os tesouros mais surpreendentes, exatos e perturbadores. As histórias aqui reunidas – uma amostra das décadas de produção e criatividade incessantes, em nova tradução – têm isso e algo mais em comum: o fato de jamais subestimarem o leitor. Pelo contrário, o autor o considera uma peça-chave ao qual reserva um lugar de destaque no jogo literário. Após cada conto, sentimos como se uma nova janela houvesse se aberto para nossa compreensão da vida. Como afirmou Vargas Llosa, a literatura de Cortázar “é um refúgio de sensibilidade e imaginação que nos ajuda a fugir da insegurança e do absurdo deste mundo”.

sergio karanSérgio Karam é músico, produtor e apresentador de programas radiofônicos, escritor e ministrante de cursos. Saxofonista, vem dividindo cenas musicais da cidade  com diferentes atores, como o Bando Barato pra Cachorro, Dúnia Elias, Paulo Dorfman e atualmente integra o Seu Conjunto, grupo do músico Arthur de Faria, com o qual gravou os CDs Música pra Gente Grande (1996), Flicts (2000), Meu Conjunto Tem Conserto (2002) e Música Pra Bater Pezinho (2005). Lançou o disco de jazz e música instrumental Caixa de Música (2003) e recebeu o prêmio Açorianos de melhor instrumentista em 2004. Foi programador de música popular, produtor e apresentador de programas de jazz da Rádio FM Cultura de Porto Alegre. Escreveu artigos sobre música e literatura, além de resenhas de discos de jazz, como colaborador, para os jornais Diário do Sul e Zero Hora e para a extinta revista Capacete, de Porto Alegre. É autor do livro  Guia do Jazz (L&PM Editores, 1993). Tem ministrado cursos sobre jazz  na Casa de Cultura Mário Quintana, no Instituto Cultural Brasileiro Norte-Americano, no Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e no Studio Clio.

gabriela silva 02Gabriela Silva. Tem literatura no seu dna. Desde a infância convive com homens e deuses e as histórias que lhe contam. É formada em Letras, estuda o mal e a morte na literatura e todas as teorias conspiratórias e literárias. É doutoranda em Teoria da Literatura na PUCRS, tendo como foco a construção da personagem.

lígia sávioLígia Savio. Amante do poeta francês Rimbaud desde a adolescência, é professora de literatura, do município de Porto Alegre e doutora em Letras pela UFRGS. Participou de antologias independentes na década de 70 (Teia, Teia II e Paisagens) com a participação de Caio Fernando de Abreu e Wesley Coll. entre outros.

Jeferson Tenório 01Jeferson Tenório. É feito de literatura. Professor e apaixonado por Dom Quixote. Premiado no concurso Paulo Leminski em 2009 com o conto “Cavalos não choram” e no concurso Palco Habitasul com o conto “A beleza e a tristeza”, adaptado para o teatro em 2007 e 2008, além de ter tido poemas selecionados no concurso Poemas no Ônibus em 2009. Faz mestrado em literaturas Luso-africanas pela UFRGS.

.

.

Veja a apresentação da nova edição do livro:

.

.

.

24
ago
13

Vai rolar na Palavraria, nesta terça, 27: Rayuela, 50 anos de publicação, na programação da Festipoa revisitada 2013

.

program sem.

.

27, terça, 19h30: Rayuela, 50 anos de publicação: Bate-papo sobre o romance com Ernani Ssó, Karina Lucena e Liliam Ramos. Mediação: Luis Gonzaga Lopes. Na programação da Festipoa revisitada 2013

amarelinha

O JOGO DA AMARELINHA é um labirinto literário no qual Cortázar discute os questionamentos do homem diante de seu destino, conflitos, dúvidas e paixões. Dividido em três partes, pode ser lido de diversas formas. Cada leitor cria o seu próprio livro e ritmo.
julio-cortazar-2

Julio Cortázar nasceu em Bruxelas, em 1914, mas foi educado na Argentina — país de origem de seus pais. Estudou Letras, trabalhou durante algum tempo como professor em áreas rurais até que em 1951 fixou residência definitiva em Paris, onde desenvolveu brilhante carreira literária, iniciada com a publicação de Los reyes. Entre suas principais obras destacam-se Bestiário, Octaedro e 62 Modelo para armar. Julio Cortázar morreu em Paris, em 1984.

ernani ssóErnani Ssó nasceu em Bom Jesus, RS, num ano de neve. Em 1974 entrou para o jornalismo, porque queria ser escritor. Saiu em 75, pelo mesmo motivo. Tem livros para adultos, mas prefere os infantis, porque são mais difíceis de escrever. Chama-se Ernani por causa de um galã de radionovela e Ssó, esse erro de revisão, de maluco, ou para não se sentir muito sozinho, como disse Mário Quintana. Escreve uma coluna semanal de humor, ou coisa parecida, na revista eletrônica http://www.coletiva.net

Karina LucenaKarina de Castilhos Lucena nasceu em Caxias do Sul/RS, em 1984. É doutoranda em Letras pela UFRGS, onde estuda as Literaturas de Língua Espanhola. Sua dissertação de Mestrado foi sobre Gabriel García Márquez e a tese de Doutorado sobre Juan Carlos Onetti. Faz parte do grupo de pesquisa “Para uma história materialista da literatura e da cultura brasileiras” que está pensando novas formas de organizar a literatura nacional, inclusive em seus pontos de contato com a produção da América Hispânica. É professora do Instituto Federal do Rio Grande do Sul. Junto com Lilian Ramos, conduz os debates do Evento de comemoração dos 50 anos da publicação de O Jogo da Amarelinha – Rayuela – de Julio Cortázar. do setor de espanhol do Instituto de Letras/UFRGS.

liliam ramosLilian Ramos é doutoranda em Letras – Literaturas Estrangeiras Modernas – Língua Espanhola, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Com Karina Lucena conduz os debates do Evento de comemoração dos 50 anos da publicação de O Jogo da Amarelinha – Rayuela – de Julio Cortázar. do setor de espanhol do Instituto de Letras/UFRGS.

.

luis gonzaga lopesLuiz Gonzaga Lopes é repórter de cultura do jornal Correio do Povo.

.

.

.

.

.

27
jan
12

Amanhã tem Sarau das 6 na Palavraria: leituras e comentários sobre Federico Andahazi, Ricardo Piglia e Mempo Giardinelli

.

28, sábado, 18h: O Sarau das 6 apresenta 3 autores contemporâneos: Federico Andahazi, Ricardo Piglia e Mempo Giardinelli. Leituras e comentários sobre vida e obra dos autores.

Federico Andahazi, nascido em Buenos Aires em 1963, é um premiado autor de sete romances e uma polêmica História Sexual dos Argentinos. Suas obras exploram os mistérios da Idade Média, a obscuridade do Cristianismo e os mais íntimos recantos da sexualidade em uma explosão de enigmas, de referências literárias e de lascívia.

Ricardo Piglia  é um dos maiores escritores da Argentina da atualidade, onde voltou a   morar  quando se aposentou da Universidade de Princeton (EUA). Autor de Respiração artificial e o Último leitor, Piglia se volta para um romance intitulado Alvo Noturno, que tem todos os ingredientes para um romance policial, como assassinatos, drogas sexo e corrupção, no entanto, a  trata-se de um romance com uma atmosfera noir.

Mempo Giardinelli, exilado por oito anos no México durante a ditadura, é escritor, jornalista e nasceu em 1947 na Argentina, país onde vive atualmente, é autor de Impossível equílibrio e Luna Caliente, este último, adaptado para a minissérie homônima exibida na Rede Globo e protagonizada por Paulo Betti e Ana Paula Tabalipa, Mempo retrata uma Argentina sem valores, corrompida pela truculência e falta de escrúpulos instauradas pela ditadura militar

O grupo responsável pela produção e apresentação do Sarau das 6 é formado por

Jaqueline Bohn Donada. Apaixonada, em tempo integral, por literatura, cultura e viagens. Viajou às entranhas monstruosas do romantismo quando publicou o livro “Spontaneous Overflow of Powerful Feelings”: Romantic Imagery in Mary Shelley’s Frankenstein, em 2009. Formada em Letras, respira literatura, principalmente a de língua inglesa, há anos. Atualmente vive no século XIX. Nas horas vagas, é professora de inglês e aluna de doutorado pela UFRGS.

 Gabriela Silva. Tem literatura no seu dna. Desde a infância convive com homens e deuses e as histórias que lhe contam. É formada em Letras, estuda o mal e a morte na literatura e todas as teorias conspiratórias e literárias. É doutoranda em Teoria da Literatura na PUCRS, tendo como foco a construção da personagem. Atualmente está em Lisboa, dizem que estudando.

Lígia Savio. Amante do poeta francês Rimbaud desde a adolescência, é professora de literatura, do município de Porto Alegre e doutora em Letras pela UFRGS. Participou de antologias independentes na década de 70 (Teia, Teia II e Paisagens) com a participação de Caio Fernando de Abreu e Wesley Coll. entre outros.

Jeferson Tenório. É feito de literatura. Professor e apaixonado por Dom Quixote. Premiado no concurso Paulo Leminski em 2009 com o conto “Cavalos não choram” e no concurso Palco Habitasul com o conto “A beleza e a tristeza”, adaptado para o teatro em 2007 e 2008, além de ter tido poemas selecionados no concurso Poemas no Ônibus em 2009. Faz mestrado em literaturas Luso-africanas pela UFRGS

.

.

24
jan
12

Vai rolar na Palavraria, amanhã, 25/01: Lançamento de livro e palestra com Mário Augusto Jakobskind

.

25, quarta, 17h: Lançamento do livro Líbia, barrados na fronteira – o que não saiu na mídia sobre a invasão da Líbia (Booklink) e palestra com o autor, jornalista e escritor Mário Augusto Jakobskind.

Os temas aborados serão:

1. O motivo de ter escrito o livro Líbia, Barrados na Fronteira. A delegação brasileira que tinha como destino a Líbia para verificar in locco o que estava acontecendo por lá e a missão não pôde ser cumprida em função da intensificação dos bombardeios da OTAN.

2. Um panorama geral sobre a Líbia naquele período de agosto de 2011 e as perspectivas para o país do norte da África que tinha um idh maior do que o do Brasil e maior do continente africano.

3. Os acontecimentos na Líbia, país produtor de petróleo de alta qualidade, e suas repercussões no Brasil. Pré-sal e Líbia, algo a ver?

4. A cobertura midiática da guerra civil líbia. Como os canais de televisão como a CNN, al Jazzeera e demais canais de televisão cobriram o conflito.

5. reflexão sobre documentos do site WikLeaks. Já com a obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo restabelecido pelo Congresso, uma análise dessa cobertura pode ser de grande utilidade para os futuros jornalistas que estão se formando.

6. Reflexões para 2012

Mário Augusto Jakobskind é jornalista e escritor carioca. Foi colaborador dos jornais alternativos Pasquim e Versus, repórter da Folha de S. Paulo (1975 a 1981) e correspondente da Rádio Centenária de Montevideo, além de editor de Internacional da Tribuna da Imprensa (1989 a 2004) e editor em português da revista cubana Prisma (1988 a 1989). Atualmente é correspondente do semanário uruguaio Brecha e membro do conselho editorial do Brasil de Fato. É autor, entre outros livros, do recente Líbia, barrados na fronteira – o que não saiu na mídia sobre a invasão da Líbia (Booklink, 2011),  América Que Não Está na Mídia (Adia, 2006), Dossiê Tim Lopes – Fantástico/Ibope (Europa, 2004), A Hora do Terceiro Mundo (Achiamê, 1982), América Latina – Histórias de Dominação e Libertação (Papirus, 1985) e Cuba – apesar do bloqueio, um repórter carioca em Cuba (Ato Editorial, 1986). Escreve regularmente no blog carioca Fazendo Media (http://www.fazendomedia.com/).

Título: Em outubro de 2009 foi agraciado pela Prefeitura de Montevidéu com o título de Visitante Ilustre. Justificativa: desagravo a expulsão ocorrida em setembro de 1981 pela ditadura da época e ainda pelo reconhecimento pela ajuda prestada a refugiados políticos uruguaios no período da ditadura de 1973 a 1984. Além do jornalista outros dois brasileiros receberam o mesmo título: Pelé e Ziraldo.

.

.

23
jan
12

Vai rolar na Palavraria, neste sábado, 28/01, o Sarau das 6: leituras e comentários sobre Federico Andahazi, Ricardo Piglia e Mempo Giardinelli

.

28, sábado, 18h: O Sarau das 6 apresenta 3 autores contemporâneos: Federico Andahazi, Ricardo Piglia e Mempo Giardinelli. Leituras e comentários sobre vida e obra dos autores.

Federico Andahazi, nascido em Buenos Aires em 1963, é um premiado autor de sete romances e uma polêmica História Sexual dos Argentinos. Suas obras exploram os mistérios da Idade Média, a obscuridade do Cristianismo e os mais íntimos recantos da sexualidade em uma explosão de enigmas, de referências literárias e de lascívia.

Ricardo Piglia  é um dos maiores escritores da Argentina da atualidade, onde voltou a   morar  quando se aposentou da Universidade de Princeton (EUA). Autor de Respiração artificial e o Último leitor, Piglia se volta para um romance intitulado Alvo Noturno, que tem todos os ingredientes para um romance policial, como assassinatos, drogas sexo e corrupção, no entanto, a  trata-se de um romance com uma atmosfera noir.

Mempo Giardinelli, exilado por oito anos no México durante a ditadura, é escritor, jornalista e nasceu em 1947 na Argentina, país onde vive atualmente, é autor de Impossível equílibrio e Luna Caliente, este último, adaptado para a minissérie homônima exibida na Rede Globo e protagonizada por Paulo Betti e Ana Paula Tabalipa, Mempo retrata uma Argentina sem valores, corrompida pela truculência e falta de escrúpulos instauradas pela ditadura militar

O grupo responsável pela produção e apresentação do Sarau das 6 é formado por

Jaqueline Bohn Donada. Apaixonada, em tempo integral, por literatura, cultura e viagens. Viajou às entranhas monstruosas do romantismo quando publicou o livro “Spontaneous Overflow of Powerful Feelings”: Romantic Imagery in Mary Shelley’s Frankenstein, em 2009. Formada em Letras, respira literatura, principalmente a de língua inglesa, há anos. Atualmente vive no século XIX. Nas horas vagas, é professora de inglês e aluna de doutorado pela UFRGS.

 Gabriela Silva. Tem literatura no seu dna. Desde a infância convive com homens e deuses e as histórias que lhe contam. É formada em Letras, estuda o mal e a morte na literatura e todas as teorias conspiratórias e literárias. É doutoranda em Teoria da Literatura na PUCRS, tendo como foco a construção da personagem. Atualmente está em Lisboa, dizem que estudando.

Lígia Savio. Amante do poeta francês Rimbaud desde a adolescência, é professora de literatura, do município de Porto Alegre e doutora em Letras pela UFRGS. Participou de antologias independentes na década de 70 (Teia, Teia II e Paisagens) com a participação de Caio Fernando de Abreu e Wesley Coll. entre outros.

Jeferson Tenório. É feito de literatura. Professor e apaixonado por Dom Quixote. Premiado no concurso Paulo Leminski em 2009 com o conto “Cavalos não choram” e no concurso Palco Habitasul com o conto “A beleza e a tristeza”, adaptado para o teatro em 2007 e 2008, além de ter tido poemas selecionados no concurso Poemas no Ônibus em 2009. Faz mestrado em literaturas Luso-africanas pela UFRGS

.

.




maio 2019
S T Q Q S S D
« out    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Categorias

Blog Stats

  • 708.861 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: