Posts Tagged ‘Luís Roberto Amabile

23
ago
16

Programação de 22 a 27 de agosto de 2016

ESTA SEMANA NA PALAVRARIA b

.

 

23, terça, 19h: Lançamento do livro O príncipe do deserto e a estrela, de Gabriela Maraschin.

o príncipe

O Príncipe do Deserto e a Estrela Cadente é o primeiro livro da jornalista gaúcha Gabriela Maraschin. Ele traz a história de um encontro: da antiprincesa Lis, arteira, decidida e destemida, e do viajado príncipe Har. Juntos, eles partem a galope em busca de uma grande aventura.

A obra é um conto de princesa, mas com uma dose generosa de irreverência, simplicidade e liberdade. Lis e Har sabem quebrar o protocolo real como ninguém e, talvez por isso, conquistam a todos por onde passam.

Depois de trabalhar muitos anos como repórter e apresentadora de televisão no Rio Grande do Sul, Gabriela Maraschin deixou o Brasil com o marido e três filhos para viajar e conhecer o mundo. A experiência que deveria durar apenas doze meses completa sete anos.

O livro será autografado na livraria Palavraria, em Porto Alegre, no dia 23 de agosto, a partir das 19 horas. As ilustrações em aquarela foram feitas pela artista Gabriela Rizzo Bins, que vive em Nova Iorque.

 

Palavraria - livros a.

.

25, quinta, 19h: Lançamento do livro Garoa fina, de Marle Araújo.

Palavraria - livros a.

.

27, sábado, 17h: Lançamento do livro Antologia da Oficina de Escrita Criativa, organizada por Luiz Antonio Assis Brasil.

Palavraria - livros a.

.

22
jun
16

Vai rolar na Palavraria, nesta quinta, 23, Lançamento do livro Cada amanhecer me dá um soco, de Andrei Ribas. Bate-papo do autor com Gabriela Silva e Luís Roberto Amabile.

ESTA SEMANA NA PALAVRARIA b

.

23, quinta, 19h: Lançamento do livro Cada amanhecer me dá um soco, de Andrei Ribas. Bate-papo do autor com Gabriela Silva e Luís Roberto Amabile.

capa_final.cdrAs palavras gravadas à faca no cadáver examinado pelo legista logo nas primeiras páginas se assemelham às que eu gostaria de dizer sobre o livro: Venha ver.
Ver o quê?, pode se perguntar.
Primeiro: os personagens. O legista obcecado por corpos (em todos os sentidos) é apenas um dos seres – e não apenas humanos – que parecem estar bem na frente de quem lê. Acreditamos nesses personagens perturbados. Eles nos interessam. Queremos saber mais. De alguma forma, compreendemos seus dilemas e ambiguidades.
Segundo: a trama. A maneira como os fatos da ficção se entrelaçam proporciona algo menos comum do que deveria no mundo literário. A vontade de percorrer as páginas e avançar nos capítulos. E o que acontece surpreende.
Flertando com o gênero policial – mas já o subvertendo –, alternando os pontos de vista, investindo em recursos metaficcionais, Andrei Ribas exibe fôlego narrativo. Cada amanhecer me dá um soco mostra que ele, além de crítico competente, é escritor. E daqueles com talento.
Em resumo: Venha ver. [Luís Roberto Amabile]

Andrei Ribas é autor dos livros O monstro (All Print, 2007) e Animais loucos, suspeitos ou lascivos(Multifoco, 2013). Possui trabalhos reproduzidos nas revistas eletrônicas Plural, Flaubert, R.Nott, Pessoa, Mallamargens, 7faces, jornal Relevo, entre outras publicações. Escreve resenhas/críticas literárias para os sites Amálgama e Homo Literatus.

 

.

Palavraria - livros a.

.

 

20
jun
16

Programação de 20 a 25 de junho de 2016

ESTA SEMANA NA PALAVRARIA b

.

21, terça, 19h: Confraria de Leitura Reinações.

.

Palavraria - livros a.

.

23, quinta, 19h: Lançamento do livro Cada amanhecer me dá um soco, de Andrei Ribas. Bate-papo do autor com Gabriela Silva e Luís Roberto Amabile.

capa_final.cdrAs palavras gravadas à faca no cadáver examinado pelo legista logo nas primeiras páginas se assemelham às que eu gostaria de dizer sobre o livro: Venha ver.
Ver o quê?, pode se perguntar.
Primeiro: os personagens. O legista obcecado por corpos (em todos os sentidos) é apenas um dos seres – e não apenas humanos – que parecem estar bem na frente de quem lê. Acreditamos nesses personagens perturbados. Eles nos interessam. Queremos saber mais. De alguma forma, compreendemos seus dilemas e ambiguidades.
Segundo: a trama. A maneira como os fatos da ficção se entrelaçam proporciona algo menos comum do que deveria no mundo literário. A vontade de percorrer as páginas e avançar nos capítulos. E o que acontece surpreende.
Flertando com o gênero policial – mas já o subvertendo –, alternando os pontos de vista, investindo em recursos metaficcionais, Andrei Ribas exibe fôlego narrativo. Cada amanhecer me dá um soco mostra que ele, além de crítico competente, é escritor. E daqueles com talento.
Em resumo: Venha ver. [Luís Roberto Amabile]

Andrei Ribas é autor dos livros O monstro (All Print, 2007) e Animais loucos, suspeitos ou lascivos(Multifoco, 2013). Possui trabalhos reproduzidos nas revistas eletrônicas Plural, Flaubert, R.Nott, Pessoa, Mallamargens, 7faces, jornal Relevo, entre outras publicações. Escreve resenhas/críticas literárias para os sites Amálgama e Homo Literatus.

 

.

Palavraria - livros a.

.

24, sexta, 19h: Lançamento do livro O amor que não sentimos e outros contos, de Guilherme Castro.

6 24 o_amor_que_nao_sentimos_e_outros_contosO amor que não sentimos” é o livro vencedor da categoria Contos do 1º Prêmio Cepe Nacional de Literatura e traz um bom conjunto de contos que, em geral, tratam as relações familiares e emocionais de um modo delicado, com uma sensibilidade original e uma escrita limpa e direta, fazendo um ótimo uso da oralidade. Os personagens são construídos com cuidado e eficiência pelo autor Guilherme Azambuja Castro, assim como as vozes de seus diversos narradores. Memória, infância e adolescência são trabalhadas de forma a retratar situações comuns, mas complexas, de passagem, perda ou conquista da experiência. O próprio ambiente onde as histórias se desenvolvem é de fronteira, reforçando essa impressão de transpasse ou transgressão. As referências extraídas da cultura pop, geracionais, e das tradições gaúchas também soam muito bem equilibradas.

.

Palavraria - livros a.

.

16
jun
15

Vai rolar na Palavraria, nesta quarta, 17, Festipoa na Palavraria – Mesas 1 e 2

ESTA SEMANA NA PALAVRARIA b

.

17, quarta: FESTIPoA  na Palavraria:

festipoa 2015

18h30: Mesa 1 – As cores viajam na porta do trem – Henrique Schneider, Luis Roberto Amabile e Cíntia La Croix conversam sobre suas obras. Mediação de Gabriela Silva

20h: Mesa 2 – Só você manda em você – Jeferson Assumção e Juremir Machado da Silva conversam sobre os  livros A vaca é ninja A sociedade Medíocre. Mediação de Jeferson Tenório

.

Palavraria - livros a.

16
maio
15

Aconteceu na Palavraria, nesta sexta, 15, Lançamento do livro Contos sem tarja preta, organizado por Luís Roberto Amabile e Luiz Ziegelmann.

.

aconteceu

.

15, sexta, 19h: Lançamento do livro Contos sem tarja preta, organizado por Luís Roberto Amabile e Luiz Ziegelmann.

.

contos sem tarja preta 01.

contos sem tarja preta 02contos sem tarja preta 03 contos sem tarja preta 04 contos sem tarja preta 05.

.

.

.

.

.

contos sem tarja preta 06contos sem tarja preta 07 contos sem tarja preta 08 contos sem tarja preta 09.

.

.

.

.

.


contos sem tarja preta 11 contos sem tarja preta 12 contos sem tarja preta 13 contos sem tarja preta 10.

.

.

.

.

.

.

Palavraria - livros c.

 

14
maio
15

Vai rolar na Palavraria, nesta sexta, 15, Lançamento do livro Contos sem tarja preta, organizado por Luís Roberto Amabile e Luiz Ziegelmann.

ESTA SEMANA NA PALAVRARIA b

.

15, sexta, 19h: Lançamento do livro Contos sem tarja preta, organizado por Luís Roberto Amabile e Luiz Ziegelmann.

sem tarja preta

Este livro é produto de oficina realizada com participantes de grupos terapêuticos em saúde mental.

Algo que prende e comove o leitor, desde logo, é a sinceridade destes relatos. São epidérmicos. Sente-se neles o fluxo vital da existência, sem que fiquem muito evidentes os eventuais artifícios técnicos. Mas também, para quê artifícios, se o correr das frases e dos parágrafos guardam a cadência natural das emoções de quem as escreve? Quero advertir, entretanto, para desfazer mal entendidos, que não estamos perante obra puramente naïf, ao contrário: sente-se que, guiados por mãos habilidosas, os autores conseguiram ultrapassar o estágio primário da escrita, que corria o perigo de tornar-se intransitiva. Há boa sistematização do material, bom arranjo das relações de causa-e-efeito e períodos gramaticais em que não falta aquele mínimo necessário para que sejam lidos e entendidos (…) [Da apresentação por Luiz Antonio de Assis Brasil]

.

Palavraria - livros a.

19
out
12

Aconteceu na Palavraria, nesta sexta, 19/10, lançamento do livro O amor é um lugar estranho, contos de Luís Roberto Amabile

.

.

Aconteceu na Palavraria, nesta sexta, 19, lançamento do livro O amor é um lugar estranho, contos de Luís Roberto Amabile. Fotos do evento.

.

.

 

.

.

.

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

16
out
12

Vai rolar na Palavraria, nesta sexta, 19/10: Lançamento do livro O amor é um lugar estranho

program sem

.

19, sexta, 19h: Lançamento do livro O amor é um lugar estranho, de Luís Roberto Amabile (Grua Livros).

O homem volta à cidade natal para um casamento e se recusa a ver um parente mais velho, com quem brigou faz anos e que está muito doente. Dois amigos saem do bar rememorando os tempos de faculdade e ao voltar para casa são parados pela polícia. O jornalista vai fazer uma reportagem num deserto de sal na Bolívia e encontra Julia, por quem se apaixona, e ela depois se desencontra dele. Com doses exatas de ironia e lirismo, os contos revelam o indivíduo moderno e sua vida menor em meio aos grandes dilemas do mundo, às relações sem esperança e às inevitáveis mentiras que abrandam o nosso cotidiano. São tramas que dissecam a alma contemporânea à luz de suas contradições e à sombra de suas incertezas. A lembrança contínua de nossa finitude por vezes é uma vaca morta na estrada que faz desviar o Monza enquanto o Flamengo joga no rádio, por vezes é a neve que cai em Buenos Aires após 69 anos. Nos “amores” desmetaforizados que as histórias ilustram, vemos as marcas ostensivas de uma sociedade que não sabe como lidar com seus sentimentos. E, com alívio ou pesar, constatamos que o amor, sempre associado à emergência do outro em nossa vida, é também solidão.

Luís Roberto Amabile nasceu em Assis, São Paulo, em 1977. Estudou teatro e jornalismo na USP. Fez pós-graduação em Fundamentos da Cultura e das Artes na UNESP e finaliza o mestrado em Teoria da Literatura / Escrita Criativa na PUCRS. Foi repórter de cultura, turismo e gastronomia nos jornais Folha de S. Paulo e Estado do S. Paulo e na Editora Abril. Participou do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council, pelo qual publicou a peça “No bico do corvo”. Teve contos em antologias no Brasil e em Portugal.

.

.

15
abr
12

Aconteceu na Palavraria, neste sábado, 14/04, Sarau das 6: leituras e comentários sobre Lavoura arcaica, de Raduan Nassar

.

.

Aconteceu no sábado, 14, Sarau das 6: leituras e comentários sobre Lavoura arcaica, de Raduan Nassar. Com Lígia Sávio, Jeferson Tenório e Luís Roberto Amabile. Fotos do Evento.

.


.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.




julho 2020
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Categorias

Blog Stats

  • 746.563 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com

%d blogueiros gostam disto: