Posts Tagged ‘Sarau poético-musical

08
dez
13

Programação de 8 a 14 de dezembro de 2013

program sem

.

10, terça, 19h: Lançamento do livro Na escuridão, amanhã, romance de Rogério Pereira. (Editora Cossac Naify).

na escuridão - convite

Ambientada inicialmente no interior de um estado sulino, a narrativa desvenda uma roça anti-idílica, sufocante, em que os protagonistas se enredam cada vez mais na ausência de comunicação, perseguidos pela ideia de um Deus sem piedade. Ao migrar para a cidade em busca de vida melhor, a família encontra a aniquilação. Surpreendente em sua força claustrofóbica, este primeiro romance revela um autor excepcional.

ROGÉRIO PEREIRARogério Pereira é jornalista e escritor. Em 2000, fundou o Rascunho, um dos mais ativos jornais de crítica e divulgação literária no Brasil. É idealizador e organizador do Paiol Literário, evento que desde 2006 leva a Curitiba escritores brasileiros para bate-papos com leitores no Teatro do Paiol. Vive em Curitiba (PR).

.

.

.

 

12, quinta, 19h: Lançamento do livro Os filhos deste solo. Encontro com o fotógrafo Valdenir Cunha, com mediação de Rafael Guimaraens.

convite Os Filhos Palavraria

.

.

.

13, sexta, 19h: Pocket musical com Tassia Minuzzo e Michel Dorfman

ATENÇÃO: CANCELADO

michel e tássia

A cantora Tássia Minuzzo e o pianista Michel Dorfman apresentarão releituras de clássicos da Música Popular Brasileira, Standards de Jazz e Música Francesa no show Mar Azul. Intérpretes e compositores consagrados como Édith Piaf, Maysa, Charles Aznavour, George Gershwin, Tom Jobim, Chico Buarque, Francis Hime, Edu Lobo e outros fazem parte do programa.

Tássia Minuzzo nasceu em Vacaria, mas mora em Porto Alegre desde 2002. Em 2011, graduou-se em Licenciatura, com habilitação em piano, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Apaixonada pelo canto e pela música francesa, em 2009 conquistou o primeiro lugar no II Festival da Canção Francesa, promovido pela Aliança Francesa de Porto Alegre. Tássia vem mostrando a força da música francesa na sua trajetória. E no repertório de Mar Azul não será diferente. O lirismo das canções do francês Charles Aznavour se destacará contracenando com a singularidade do americano George Gerswhin, juntamente com a poesia musical de Chico Buarque.

Michel Dorfman graduou-se pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em Composição, e tem seu trabalho como pianista, arranjador e produtor musical. Trabalhou com diversos artistas em projetos de gravações e shows, dentre os quais Hique Gomez, Frank Solari. Antonio Villeroy.

.

.

.

14, sábado, 11h: Gravação de AGES Entrevista, para o programa Poesia Blues – Rádio Falando de Amor, com Marlon de Almeida, Cintia Moscovich e Luiz Paulo Faccioli.

poesia blues = marlon

AGES ENTREVISTA ABERTA recebe os conhecidos e reconhecidos escritores Cintia Moscovich e Luiz Paulo Faccioli para uma conversa sobre suas obras e o processo criativo que as sustentam. O AGES ENTREVISTA ABERTA é apresentado pelo poeta, vice-presidente social da AGES, Marlon de Almeida, e vai ao ar todos os sábado às 20h na rádio web Falando de Amor (www.radiofalandodeamor.com). A parceria tem como objetivo fundamental contribuir para a memória da associação e divulgar a literatura feita pelos seus associados.

.

.

.

14, sábado, 18h: Sarau das seis – De Manoel a Manuel, leituras de Manuel Bandeira e Manoel de Barros. Jeferson Tenório, Lígia Sávio e Gabriela Silva recebem Laís Chaffe e Diego Petrarca.

sarau das seis - dez

Para encerrar com chave de ouro o ano de 2013, o Sarau das Seis apresenta; “De Manoel a Manuel”, leituras e releituras de dois grandes poetas da literatura brasileira: Manuel Bandeira e Manoel de Barros. Essa edição conta com a participação de dois poetas supimpas: Laís Chaffe e Diego Petrarca. Ao final do sarau faremos sorteio de livros. Venha participar com a gente não esqueça que o sarau é de leitores para leitores, portanto, traga o seu poema favorito.

 

sarau das seis

.

.

.

Anúncios
20
out
13

Programação de 21 a 26 de outubro de 2013

program sem

.

22, terça, 19h15: A poesia de Pablo Neruda – terceiro encontro do Ciclo de Poetas de Língua Espanhola. Com Raquel Grossman (coordenação), Gladis Kaercher, María Cinta Aguaded Gómez, Dione Detanico e Jane Felipe.

Convidadas/os lerão poesias de Pablo Neruda, ressaltando aquilo que lhes toca em cada poesia selecionada. O público presente, se assim o desejar, poderá participar, fazendo comentários sobre os poemas lidos ou trazendo outros poemas do autor.

pablo-neruda-3

Pablo Neruda (1904-1973), poeta chileno, começou a escrever ainda muito jovem, publicando seus primeiros poemas no periódico regional A Manhã.  Em 1923 publicou Crespusculário e no ano seguinte Vinte poemas de amor e uma canção desesperada. Em 1927 iniciou sua carreira diplomática e posteriormente se tornou senador. Na década de 50 publicou os seguintes livros: Canto Geral, dando à sua poesia uma intencionalidade social, ética e política, Os Versos do Capitão (1952) As uvas e o vento e Odes Elementares (1954). Em 1965 lhe foi outorgado o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Oxford, Grã-Bretanha. Em outubro de 1971 recebeu o Nobel de Literatura. Após sua morte, foram publicadas suas memórias, com o título Confesso que vivi.

Coordenação geral:

raquel grossmanProfª Raquel Grossman Uruguaia, reside no Brasil há muitos anos. Formada em nutrição pela Faculdade de Medicina de Montevidéu; professora de música pelo Conservatório Musical Kolischer, Montevidéu. Atualmente leciona o idioma espanhol, ministrando aulas particulares de conversação, individuais ou em grupo, bem como na preparação de profissionais em suas diversas áreas de atuação. Coordena seu próprio curso, cujo diferencial consiste em atividades culturais bilíngues em espanhol-português.

Participações especiais:

Gladis KaercherProfª Drª Gladis Kaercher formada em Letras pela UFRGS, é professora de literatura da Faculdade de Educação da UFRGS. Mestre e doutorada em Educação (UFRGS). Coordena atualmente o curso de Aperfeiçoamento política de Promoção da Igualdade Racial na Escola – UNIAFRO/UFRGS.  Possui inúmeras publicações na área de texto, literatura infantil, raça e etnia, infâncias e educação infantil.

maria cintaProfª Drª María Cinta Aguaded Gómez – licenciada em Psicologia pela Universidad de Sevilla, também é pedagoga e professora da Universidad de Huelva, Espanha. Integra os grupos de pesquisa “Ágora” e “Comunicar”, em Andalucía sobre competência midiática. Realizou estágios em centros estrangeiros França, Itália, Suécia, Bélgica e Portugal.  É coordenadora Erasmus de alunos de Catania (Sicilia). Publicou vários livros como autora e coautora, bem como artigos em revistas.   Atualmente faz pós-doutorado na FACED/UFRGS.

dione detanicoProfª Dione Detanico – escritora, professora de Língua Portuguesa e Literatura Portuguesa e Brasileira, licenciada em Língua Francesa, revisora de Língua Portuguesa. Autora dos livros Das Opacidades do Mundo (2010), Reflexões Filosóficas Infantis (2011). Coautora dos livros Arca de Impurezas e Arca profunda (2010), pela editora Território das Artes. 

jane felipeProfª Drª Jane Felipe – professora de graduação e pós-graduação da FACED/UFRGS. Psicóloga (UFRJ), Mestre (UFF/RJ) e doutora em Educação (UFRGS). Pós-doutorado em Cultura Visual (Universidad de Barcelona). Atualmente coordena a pesquisa Violências de gênero, amor romântico e famílias: entre idealizações e invisibilidades, os maus tratos emocionais e a morte. Possui inúmeras publicações na área de gênero, sexualidade, infâncias e educação.

.

Participação musical:

Iuri Daniel Barbosa: Contrabaixista, violeiro e compositor trabalha com os grupos Tribo Brasil, Lá Fora e Mezcolanza, especializado em trabalho autoral e releituras de Música Popular Brasileira. Atualmente desenvolve pesquisa de Mestrado em Geografia sobre a obra musical dos “Troncos Missioneiros”.

.

.

.

23, quarta, 19h: Lançamento do livro Províncias, crônicas de Marcelo Canellas (Editora Globo)

Convite Provincias

Províncias universais

 Em deliciosa coletânea de crônicas, Marcelo Canellas recolhe nas miudezas provincianas a matéria poética para falar da vida e de suas contradições

Um dos mais premiados jornalistas da televisão brasileira, Marcelo Canellas já rodou o mundo ao longo de seus mais de 25 anos de carreira. Mas, segundo ele mesmo, jamais deixou a cidade de Santa Maria da Boca do Monte, encravada no centro do Rio Grande do Sul — a província sempre segue com ele, alma adentro, aonde quer que vá.

O livro de crônicas que Canellas acaba de lançar, apropriadamente intitulado Províncias, comprova a profunda conexão do autor com a geografia afetiva de seus anos de formação. Santa Maria, aqui, é o arquetípico microcosmo que, sob a lente de aumento da literatura, vai desvelando o caráter universal das miudezas de um cotidiano particular.

Nesse sentido, qualquer insignificância do dia a dia – o aroma do café passado no coador de pano, a imobilidade de uma estátua-viva na praça, a desmontagem da lona de um circo – ganha renovada dimensão nesses relatos. E, também, tudo o que há de profundamente relevante passa por uma necessária releitura: filtrada sob a perspectiva “provinciana” de Canellas, a recente tragédia da Boate Kiss tem, no livro, aquela que talvez seja sua mais pungente interpretação.

marcelo canellasPublicados originalmente no Diário de Santa Maria, os textos revelam uma prosa poética fluida, delicada, a serviço da observação da vida e de suas eternas contradições. A compilação Províncias é a oportunidade de tornar o lado cronista de Canellas tão reconhecido quanto sua faceta de jornalista.

Marcelo Canellas, nascido em Passo Fundo, em 1965, é formado em comunicação pela Universidade Federal de Santa Maria. Repórter especial da Rede Globo, notabilizou-se pela cobertura de temas ligados a direitos sociais e humanos. Pela série de reportagens “Fome”, exibida no Jornal Nacional em 2001, ele e sua equipe conquistaram diversos prêmios — Ayrton Senna de Jornalismo, Barbosa Lima Sobrinho, Imprensa Embratel e Vladimir Herzog, além da Medalha ao Mérito da Organização das Nações Unidas.

.

.

.

24, quinta, 19h: Leituras Feevale – Contos da vida breve, com Henrique Schneider

vida breve - 10 anos

Leituras Feevale – Contos da vida breve são sessões nas quais, durante aproximadamente 50 minutos, Schneider lê e interpreta alguns dos pequenos contos que escreve em sua coluna “Vida Breve”, desde 2003, no jornal ABCDomingo, com tiragem de 70 mil exemplares e que circula pelo Vale do Sinos e Região Metropolitana. Desde 2007, com patrocínio da Universidade Feevale, o escritor realiza leituras públicas e gratuitas de seus contos, pelo interior do Rio Grande do Sul e cidades como Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Florianópolis, Belo Horizonte, Montevidéu e Buenos Aires.

HENRIQUE SCHNEIDER 02Henrique Schneider nasceu em 1963 e vive em Novo Hamburgo (RS). Tem diversos livros publicados, entre os quais O grito dos mudosA segunda pessoa, Contramão e A vida é breve e passa ao lado. O monstro debaixo da cama, primeiro conto de Henrique Schneider publicado na coluna Vida Breve, foi parar no programa Curtas Gaúchos, da RBS, adaptado pela cineasta hamburguense Cris Werle.

.

.

.

26, sábado, 11h: AGES entrevista, com Marlon Almeida e convidados.

.

.

.

 

13
out
13

Programação de 14 a 19 de outubro de 2013

program sem

.

15, terça, 19h: Confraria de Leitura Reinações: livro Decifrando Ângelo, de Luís Dill. Coordenação de Gladis Berriel.

confraria reinações

.

.

.

16, quarta, 18h30: Primeira Reunião da Cambada de Leitores de Andrea Camilieri. Participam Fraga (organizador), Edgar Vasques, Ernani Ssó, Cláudio Levitan e Carla Osório.

A partir deste mês, Andrea Camilleri– criador do Comissário Montalbano – tem uma CLAC mensal na Palavraria.

A Palavraria sempre abrigou grupos de leitores de todos os gêneros literários. Agora ganhou mais um, específico, policialesco: a CLAC, Cambada de Leitores de Andrea Camilleri. O pretexto para os encontros da CLAC é a admiração pelo genial autor e seu humano personagem, o Comissário Montalbano. A intenção é reunir os fãs e atrair novos interessados nas aventuras do Montalbano e seus chefiados na delegacia de Vigàta.

As pautas da CLAC serão propostas de uma reunião para outra: pode ser um determinado livro, um conto qualquer, um dos personagens (imaginem tratar do Catarella ou abordar a Lívia). Haverá espaço para depoimentos, leitura ao vivo, papo em torno da tradução, curiosidades sobre  o escritor etc. Enfim, tudo sobre o prazer de acompanhar um sucesso internacional (quase 30 livros e 25 filmes da série televisiva italiana, exibida em mais de 60 países, menos aqui).

E a idéia prática final: cobrar da Editora Record os próximos lançamentos – já são 12 livros em atraso, baita descompasso com a satisfação dos leitores em outros idiomas. A partir da primeira reunião coletiva (os fãs de outros policiais são bem-vindos), entra no ar o blog da CLAC, com a programação da cambada, divulgação de resenhas, links, atualidades sobre Andrea Camilleri.

Ah, claro que a Palavraria já estocou exemplares.

Anfitriões: Carla Osório (Palavraria), Cláudio Levitan (desenhista/músico), Edgar Vasques (cartunista/ chargista/pai do Rango), Ernani Ssó (escritor/ tradutor), Fraga (jornalista/humorista/coordenador da CLAC)

O que: Papos em torno dos casos do Comissário Montalbano

Quando: Quarta-feira, dia 16/10, das 18:30 às 21h

Onde: Palavraria, Vasco da Gama/165, fone 3268 4260

Quanto: Evento gratuito, aberto a quem aparecer

.

andrea camillieriNascido em Porto Empedocle (Agriento) em 1925, Andrea Camilleri trabalhou por muito tempo como roteirista e diretor de teatro e televisão, produzindo os famosos seriados policiais do comissário Maigret e do tenente Sheridan. Estreou como romancista em 1978. A consagração, porém, viria apenas no início dos anos 1990, quando publicou A forma da água, primeiro caso do comissário Salvo Montalbano. Desde então recebeu alguns dos principais prêmios literários italianos e tornou-se sucesso de público e crítica em todos os países onde foi lançado, com mais de 3 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo.

.

.

17, quinta, 19h: Lançamento do livro Contos da vida difícil, de Aldyr Garcia Schlee (Edições Ardotempo). Conversa do autor com os professores Sergius Gonzaga e Regina Ungaretti seguida de sessão de autógrafos.

contos da vida difícil - ft Perin“Poderá parecer que estes contos, rompendo com um silêncio cúmplice e conivente sobre as misérias da chamada“vida fácil”, não passem da retomada de um passado distante.

Contudo, restritos aos limites do imaginável, situam-se no plano de uma mesma e permanente  realidade que, se não se esquece e se oculta deliberadamente, tem sido abordada com os prejuízos e preconceitos característicos de uma sociedade conformada por suas próprias mazelas.

O tema relativo ao mercado prostibulário e, especialmente ao tráfico de mulheres foi sempre  desenvolvido através de estereótipos, no plano do melodrama de folhetim e do convencionalismo conformista, através de um discurso moralizador de grande poder emocional que o deturpa e que encontra eco na pregação de certos religiosos e reformadores sociais.

Por tudo isto, as histórias de mulheres e homens de vida fácil, girando em torno da sedução barata, da violência gratuita e da perversidade maniqueísta, não têm lugar aqui.”

Aldyr Garcia Schlee

Capão do Leão, verão de 2013

aldyr garcia schlee 1Aldyr Garcia Schlee (Jaguarão, 22/11/1934) é escritor, jornalista, tradutor, desenhista e professor universitário. Doutor em Ciências Humanas, publicou vários livros de contos e participou de  antologias, de contos e de ensaios. Alguns livros seus foram primeiramente publicados no Uruguai pela Ediciones de la Banda Oriental. Traduziu a importante obra Facundo, do escritor argentino  Domingos Sarmiento, fez a edição crítica da obra do escritor pelotense João Simões Lopes Neto. Foi professor de Direito Internacional da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pelotas – UFPel, por mais de trinta anos, onde foi também pró-reitor de Extensão e Cultura.

É torcedor do Brasil de Pelotas, clube que chegou a ser tema do conto “Empate”, publicado em “Contos de futebol”. Criou o uniforme verde e amarelo da seleção brasileira de futebol, mais conhecido como Camisa Canarinho. Recebeu duas vezes o prêmio da Bienal de Literatura  Brasileira e foi cinco vezes premiado com o Prêmio Açorianos.

Aldyr Garcia Schlee, que atualmente vive em um sítio em Capão do Leão, município vizinho de  Pelotas,  é convidado destaque da Jornada Literária de Passo Fundo, com sua obra original e  singular como o mais destacado autor brasileiro de linguagem de fronteira. Aliás esse é o tema de suas palestras agendadas, a convite, em março de 2014 na Université de Paris Sorbonne Nouvelle,  Université de Rennes e Maison de l’Amerique Latine em Paris.

______________________________________________________________

CONTOS DA VIDA DIFICIL
ALDYR GARCIA SCHLEE
Contos – (NOVO) 2013
ISBN 978-85-62984-30-3
edições ardotempo – 2013
Valor: R$ 35,00

.

.

.

.

18, sexta, 19h: Lançamento do livro, Fly again, de Cleci Silveira (Editora Movimento)

Sem título-1

Um passeio com o tempo

Há quem passe a vida inteira sem compreender as armadilhas do tempo e, numa luta inglória, tente ora aprisioná-lo, ora fazê-lo fugir. Enquanto isso, outros contornam as vicissitudes das horas, dias e anos quase como a conhecer o caminho das pedras, caminhando de mãos dadas com Cronos. Estes privilegiados, às vezes, se propõem a dividir conosco sua jornada, pois lhes resta a outra mão para dar. E, qual ponte entre nós e o tempo, tornam-se cronistas.

Cleci Silveira, cujo sorriso já me encanta há mais de uma década, estendeu-me a mão e convidou a passear nas páginas que seguem. Proposta irrecusável. Sem surpresa, estive guiado por uma escrita segura e sedutora, cuja prosa dita um ritmo confortável. Mais do que dominar o idioma e a técnica, Cleci antecipa as curvas do tempo, contornos às vezes bruscos, propondo uma narrativa que combina lembranças e projeções. Oferece o mesmo olhar generoso e cálido para a criança e para o velho; ao que não mais será e para aquilo que nutre nossas esperanças.

Enquanto caminhamos pelas páginas de seu Fly again, a escritora lança mão de sua bagagem: muita leitura, boa música, vivências. Num instante, somos muitos lado a lado: Neruda, Tom & Vinicius, Carmen Miranda. Rubem Braga, Machado de Assis, Philip Roth. Também figuras muito nossas, como João Antonio Dib, e pessoas muito dela, como a amiga de infância e a vizinha de prédio. E flanamos de Porto Alegre às Américas. Todos de braços dados. Todos na hábil condução da autora – prova de que ela conhece bem o trilhar da crônica, suas pausas e inflexões. Agora que você já está com o livro em mãos, junte-se a nós. Acompanhe Cleci Silveira pelos caminhos do tempo. Garanto que vale o passeio.

Rubem Penz

cleci silveira (2)Cleci Silveira, poeta, cronista e ficcionista, nasceu em Porto Alegre. Trabalhou no Serviço de Radiodifusão Educativa na Rádio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e, de 1988 a 1990, manteve uma coluna no jornal O Moinho, sobre mobiliário antigo. Publicou os livros No Sótão Dormem Bonecas (contos, WS Editor, 2001);  A Trama do Silêncio (contos, Movimento, 2004); O Tocador de Saz e o Sultão (crônicas, Literalis, 2006); Além da Porta (romance, Movimento, 2008); Diário de mulher solteira (romance, Movimento, 2010); Poemas de aprendiz (Movimento, 2011) e. Possui também diversos trabalhos publicados em antologias. http://clecisilveira.com/
Fly again (Coleção Rio Grande: V. 155) — Cleci Silveira
Editora Movimento, 88 páginas
Preço de capa: R$ 20,00
Telefone do autora: (51) 3330-2683

.

.

.

19, sábado, 18h: Sarau das seis: Para viver um grande amor – centenário  de Vinícius de Moraes, com Gabriela Silva, Jeferson Tenório e Lígia Sávio e participação especial de Andreia LaimerDiego Petrarca e Luís Fernando Kalife Jr.

É com grande alegria de viver que o Sarau das Seis apresenta sua edição especial “Para viver um grande amor – centenário de Vinicius de Moraes.” Nossos convidados especiais serão Andreia Laimer , Diego Petrarca e Luís Fernando Kalife Jr. Lembraremos que é melhor ser alegre que ser triste, que há casas engraçadas que tinham teto e não tinham nada, que não se pode cair no canto de Ossanha traidor e que amaremos por todas as nossas vidas. Se a morte é angústia de quem vive e a solidão é o fim de quem ama… vamos celebrar os dias que temos e a poesia que nos comove. Saravá para nós! Tragam seus livros, seus poemas, amores e sambas…Vai ser bonito de se ver. O Sarau é de leitores e para leitores!Esperamos vocês!

 

.

.

.

23
set
13

Vai rolar na Palavraria, nesta quinta, 26, Para ler o Ocidente: as origens da nossa cultura, bate-papo com José Hildebrando Dacanal – apresentação e discussão da obra com o autor

program sem

.

26, quinta, 19h: Para ler o Ocidente – Hélade, Israel, Roma: as origens da nossa cultura, de José Hildebrando  Dacanal – apresentação e discussão da obra com o autor.

.

para ler o ocidente

.

A democracia nasceu em Atenas? Quem era Homero? Quem foi Platão? Por que, para Aristóteles, os escravos não eram superiores aos animais? Quem eram os profetas? Por que o Cristianismo derrotou os Césares? A natureza humana mudou nos últimos três milênios? O que pensavam e escreveram os grandes gênios da Hélade, de Israel e de Roma? As respostas podem ser óbvias, inesperadas ou perturbadoras. Mas estarão sempre lá, no início do caminho de quem busca as origens do Ocidente.

DacanalJornalista e professor desde 1965, J. H. Dacanal é formado em Letras Clássicas e Vernáculas e em Ciências Econômicas. Ao longo de quase meio século, produziu centenas de artigos e ensaios e publicou cerca de três dezenas de obras, entre as quais se destacam alguns títulos já clássicos, como O romance de 30, Linguagem, poder e ensino da língua, A nova classe no poder, Eu encontrei Jesus – viagem às origens do Ocidente, Romances brasileiros (I e II), Marx enganou Jesus e… Lula enganou os dois, Manual de pontuação e Riobaldo e eu, sua tese de doutorado. É um dos mais destacados intelectuais da sua geração.

.

.

.

.

14
set
13

Aconteceu na Palavraria, nesta sexta, Conversa Afinada na Palavraria. Promoção do IEPP

.

aconteceu

.

Aconteceu na Palavraria, nesta sexta, Conversa Afinada na Palavraria. Promoção do IEPP. Fotos do evento.

.

conversa afinada 01.

conversa afinada 02conversa afinada 04conversa afinada 05conversa afinada 03.

.

.

.

.

.

conversa afinada 06 conversa afinada 07.

.

.

.

.

Palavraria - livros c.

 

22
ago
13

Aconteceu na Palavraria, nesta quarta, 21, A poesia de Basilio Sánchez – no Ciclo de poetas de língua espanhola

.

aconteceu

.

Aconteceu na Palavraria, nesta quarta, 21,  A poesia de Basilio Sánchez – no Ciclo de poetas de língua espanhola. Coordenação de Raquel Grossman, com a participação de Jane Felipe, Luandra Lucena Moschen, Gisele Rodrigues Soares e Gladis Kaercher. Acompanhamento musical de Iuri Daniel Barbosa e Carlos Ezael. Fotos do evento.

.

basilio sánchez 01.

basilio sánchez 02basilio sánchez 03basilio sánchez 04basilio sánchez 05.

.

.

.

.

.basilio sánchez 08basilio sánchez 07basilio sánchez 06

basilio sánchez 09.

.

.

.

.

.

.

.

Palavraria - livros c.

 

25
nov
12

Aconteceu na Palavraria, neste sábado, 24/11, sarau poético musical

.

.

Aconteceu na Palavraria, neste sábado, 24, Sarau de Poesias com alunos de Charles Kiefer, da turma de Produção de Textos Poéticos – PUC. Participaram Fernanda Vier, Giordano Tronco, Tassiana Tartarelli, Denise Garateguy, André Antunes, Simone Kniphoff, Lorran Perry e Maurício Salomon. Fotos do evento.

.

.

.

.

.

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.




junho 2019
S T Q Q S S D
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Categorias

Blog Stats

  • 710.624 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: