Posts Tagged ‘Shakespeare

01
maio
16

Vem aí, na Palavraria, a partir de 7 de maio: Curso Shakespeare – O revés da palavra e a invenção do humano, com Gabriela Silva.

.

Cursos oficinas 2016

.

Curso Shakespeare – O revés da palavra e a invenção do humano,
com Gabriela Silva.

De 7 de maio a 18 de abril de 2016

.

shakespeare - gabriela silva.

 

Anúncios
16
set
12

A crônica de Gabriela Silva: Da última vez que perdi o sono

.

.

Da última vez que perdi o sono, por Gabriela Silva

.

.

Algumas noites atrás eu perdi o sono e fui pegar um livro na estante para me distrair. Peguei Hamlet, como se nunca o tivesse lido antes. Ele fica mesmo perto da minha cama, na prateleira sobre a mesa. Sempre esteve no mesmo lugar, desde os tempos em que eu morava na casa de minha mãe. Aliás, sou assim, as coisas para mim têm lugar, elas precisam de um lugar. E quando eu as troco, sem querer, me perco toda dentro de casa à procura delas. Bem, Hamlet, vamos a ele. Eu contava que peguei o livro na estante. É o mesmo desde a época da faculdade: coleção pocket da L&PM, tradução do Millôr Fernandes. Todo marcado, cheio de anotações da aula da Mara Jardim, que me apresentou o livro. Depois da leitura desse drama nunca mais fui a mesma pessoa. Ele me tomou de assalto, complicou minha vida e eu que era um coração simples me tornei muito desconfiada e crítica.

Gosto de pensar em todas as coisas que ali estão: dos solilóquios, das maquinações de Hamlet, do desencontro de realidade e desespero de Ofélia, do modo simplório como agem Guildenstern e Rosencrantz, da vulnerabilidade de Gertrudes, da vilania de Cláudio e da suscetibilidade de Polônio. “A invenção do humano está nos textos de Shakespeare”, disse certa vez crítico sobre a obra do dramaturgo inglês.  E está tudo lá mesmo nas linhas de suas peças.

E fiquei pensando, folheando esse livro que é uma edição pequena, antiga e que me apresentou o mundo. A partir dele não pude mais me distanciar da literatura, por que criei para mim mesma uma fome, demasiado grande e insaciável de querer entender o mundo através dos livros.

Com a memoria das aulas que dei sobre Hamlet, das muitas vezes que escrevi sobre ele, das aulas da faculdade que eu ansiava a cada semana para ouvir sobre Hamlet, veio uma lembrança em especial. Lembrei-me de minha melhor amiga, desde os tempos de escola. Por que pensei em Horácio, na sua fidelidade e na presença na vida do perturbado amigo. Minha amiga é minha versão de Horácio. Ela me ouve com total atenção, me pede calma para a vida e me ajuda com os fantasmas.

Amigos são diferentes uns dos outros: críticos, azedos, mal-humorados, engraçados, quietos, acolhedores e austeros. Não são poucas as amizades representadas na literatura, depois eu escrevo mais sobre isso. Mas eu gostava de contar um fato, que me fez pensar mais ainda nessa minha amiga Horácio. Contava-lhe eu de mal fadadas ações do mês de agosto, com detalhes, pois ela adora detalhes. Depois de um acesso de riso, que eu mesma não resisti e cai na gargalhada junto, ela me diz: “não sei o que te dizer Gabi.” E ficamos em silêncio, olhando para o chão. Depois de alguns minutos eu disse: “não há o que dizer.”

Elsinore já havia sido invadido mesmo, Fortimbrás já estava na sala principal do castelo. Mas eu me senti tão consolada por ela estar ali, por ela ser quem é. Ali, naquela tarde, tudo se encerrou, tudo virou ficção. Eu não precisava mais me perguntar o porquê, ou me sentir isso ou aquilo. E já que o resto é silêncio mesmo, aproveitamos e comemos mais um pedaço de bolo, demos mais umas risadas e eu prometi trazer histórias melhores da próxima vez.

Acabei dormindo com Hamlet nos braços (feliz trocadilho), na manhã seguinte, ao arrumar a cama e ir colocar o livro na estante eu pensei: que bom que muitas coisas não mudam e que eu posso encontrá-las sempre no mesmo lugar.

.

Gabriela Silva tem literatura no seu dna. Desde a infância convive com homens e deuses e as histórias que lhe contam. É formada em Letras, estuda o mal e a morte na literatura e todas as teorias conspiratórias e literárias. É doutoranda em Teoria da Literatura na PUCRS, tendo como foco a construção da personagem. Entre outras atividades, coordena atualmente o grupo que organiza e apresenta mensalmente o Sarau das 6, programa de leituras e comentários literários, na Palavraria.

.

.

21
abr
12

Aconteceu na Palavraria, nesta sexta, 22/04: lançamento do livro O mundo fora de prumo – Transformação social e teoria política em Shakespeare, de José Garcez Ghirardi

.

.

Aconteceu nesta sexta, 20, o lançamento do livro O mundo fora de prumo – Transformação social e teoria política em Shakespeare, de José Garcez Ghirardi. Fotos do Evento.

.


.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.




agosto 2019
S T Q Q S S D
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Categorias

Blog Stats

  • 717.339 hits

Top Clicks

  • Nenhum
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: