Arquivo para abril \30\UTC 2011

30
abr
11

Neste domingo, na Palavraria: Festipoa literária


na Palavraria

.

1º de maio, domingo:

15h Mesa Poesia no livro, no palco e na web: Horacio Fiebelkorn, Ramon Mello e Ademir Assunção

.

.

.

16h54 A melhor maneira de dizer tudo em 6 minutos: leitura de poemas com Ramon Mello

.

17h Mesa Poesia hispânica e brasileira em traduções e publicações Virna Teixeira, Douglas Diegues e Cristian De Nápoli


.

.

.

.

18h24 A melhor maneira de dizer tudo em 6 minutos: leitura de poemas com Cristian De Nápoli

.

18h30 Mesa Novos autores: realismo na literatura ainda é possível? Vinícius Castro e Daniela Langer. Mediação: Luciana Thomé

.

.

.

.

Anúncios
29
abr
11

Vai rolar na Palavraria, neste sábado, 30: Bate-papo sobre a obra de Guy de Maupassant

.

.

30, sábado, 17h: Bate-papo sobre a obra de Guy de Maupassant, com Paola Felts Amaro e Adriane Sander, organizadoras do livro Guy de Maupassant – O horla – A cabeleira – A mão – O colar, da Editora Artes & Ofícios.

O livro. Ao abrir esse livro, o leitor mergulhará na Paris do séculoXIX  e se entregará às experiências insólitas daquela época. O insólito, o sobrenatural e o mistério, que ainda hoje fascinam os jovens, como se pode perceber pelo sucesso das séries televisivas como «ArquivoX », « Sobrenatural » e « Arquivo Morto » são elementos brilhantemente explorados pelo contista Guy de Maupassant. O livro é o primeiro de uma série de publicações de textos da literatura universal. No próximo volume, Bola de sebo, também de Maupassant.

O autor. Guy de Maupassant (1850-1893), escritor francês, foi contista por excelência. Utilizou-se de um vocabulário e uma sintaxe simples, tornando o texto acessível a leitores estrangeiros e jovens. Em seus contos fantásticos, ele tece os retratos da alma humana, de seus dilemas, e expõe suas sombras, provocando o leitor com seus desfechos inesperados e a presença constante de um mundo vindo de outro lugar.

As organizadoras. Paola Felts Amaro e Adriane Sander selecionaram os textos e escreveram apresentação, cronologia e breve análise dos contos. Coordenaram também a tradução do francês, cujos tradutores são, além delas mesmas, Gustavo de Azambuja Feix, Joice Monticelli Furtado e Paula Fernanda Malaszkiewicz.


.

.

28
abr
11

Vai rolar na Usina do Gasômetro, nesta sexta, 29: Lançamento do livro Ensaios no real

. .

29, sexta, 20h30 – NA USINA DO GASÔMETRO – 3º ANDAR: Lançamento do livro Ensaios no real, de Cezar Miglione (Org.). Na programação do festival CINEESQUEMANOVO 2011.

Reunião de textos sobre a recente produção documentarista no Brasil, contendo análises detalhadas que vão delineando um universo de crenças no documentário e no real. . .

.

24
abr
11

Programação de 25 a 30 de abril

.

.

.

28, quinta, 18h30: Início do curso Cosmovisão: a literatura encontra a tecnologia, a arte encontra a ciência, com Nelson Oliveira (na programação da FestiPoa). Dias 28, 29 e 30. INSCRIÇÕES ABERTAS

.


Nelson de Oliveira
nasceu em 1966, em Guaíra, SP. Escritor e doutorando em Letras pela USP, publicou mais de vinte livros para adultos e crianças, entre eles Naquela época tínhamos um gato (contos, 1998), Subsolo infinito (romance, 2000), O filho do Crucificado (contos, 2001, também lançado no México), A maldição do macho (romance, 2002, publicado também em Portugal), Verdades provisórias (ensaios, 2003) e O oitavo dia da semana (romance, 2005). Em 2001 organizou a antologia Geração 90: manuscritos de computador e em 2003, Geração 90: os transgressores, com os melhores prosadores brasileiros surgidos no final do século XX. Desde 2003 coordena oficinas de criação literária para escritores diletantes, com obra ainda em formação, e pessoas interessadas em aprimorar suas habilidades no uso da linguagem literária. Colabora regularmente com o jornal Rascunho (PR) e com o caderno Idéias & Livros, do Jornal do Brasil (RJ). Dos prêmios que recebeu destacam-se o Casa de las Américas (1995), o da Fundação Cultural da Bahia (1996) e duas vezes o da APCA (2001 e 2003).

.

.

29, sexta, 20h30 – NA USINA DO GASÔMETRO – 3º ANDAR: Lançamento do livro Ensaios no real, de Cezar Miglione (Org.). Na programação do festival CINEESQUEMANOVO 2011.

Reunião de textos sobre a recente produção documentarista no Brasil, contendo análises detalhadas que vão delineando um universo de crenças no documentário e no real.

.

.

.

30, sábado, 17h: Bate-papo sobre a obra de Guy de Maupassant, com Paola Felts Amaro e Adriane Sander, organizadoras do livro Guy de Maupassant – O horla – A cabeleira – A mão – O colar, da Editora Artes & Ofícios.

O livro. Ao abrir esse livro, o leito rmergulhará na Paris do séculoXIX  e se entregará às experiências insólitas daquela época. O insólito, o sobrenatural e o mistério, que ainda hoje fascinam os jovens,como se pode perceber pelo sucesso dass éries televisivas como« ArquivoX », « Sobrenatural » e « Arquivo Morto » são elementos brilhantemente explorados pelo contista Guy de Maupassant. O livro é o primeiro de uma série de publicações de textos da literatura universal. No próximo volume, Bola de sebo, também de Maupassant.

O autor. Guy de Maupassant (1850-1893), escritor francês, foi contista por excelência. Utilizou-se de um vocabulário e uma sintaxe simples, tornando o texto acessível a leitores estrangeiros e jovens. Em seus contos fantásticos, ele tece os retratos da alma humana, de seus dilemas, e expõe suas sombras, provocando o leitor com seus desfechos inesperados e a presença constante de um mundo vindo de outro lugar.

As organizadoras. Paola Felts Amaro e Adriane Sander selecionaram os textos e escreveram apresentação, cronologia e breve análise dos contos. Coordenaram também a tradução do francês, cujos tradutores são, além delas mesmas, Gustavo de Azambuja Feix, Joice Monticelli Furtado e Paula Fernanda Malaszkiewicz.


.

.

23
abr
11

FestiPoa 2011: Programação

.


Programação 2011

.

DIA 28 DE ABRIL, QUINTA-FEIRA
Letras & Cia – Avenida Osvaldo Aranha, 444 – Bom Fim – 51 3225-9944
17h Abertura: João Gilberto Noll lê trechos de seus livros. Após, José Castello conversa com Noll, escritor homenageado da 4ª edição da FestiPoa Literária
19h
Homenagem ao coletivo Dulcinéia Catadora. Convidados: Lúcia Rosa e Peterson Marques (Dulcinéia)
19h30
Lançamento de “Ribamar”, de José Castello, com apresentação de Fabrício Carpinejar
Casa de teatro – Rua Garibaldi, 853 – Independência – 51 3029-9292
21h30
Festa em homenagem a João Gilberto Noll e Dulcinéia Catadora
DIA 29 DE ABRIL, SEXTA-FEIRA
Letras & Cia – Avenida Osvaldo Aranha, 444 – Bom Fim – 51 3225-9944
17h30
Mesa Zona de confronto e a literatura de invenção: Antonio Xerxenesky, Paulo Ribeiro e Nelson de Oliveira
19h
Mesa Hoburaco grupo de oficina de poesia. Coordenação: Diego Petrarca
Goethe Institut – Rua 24 de Outubro, 112 –  21187800
19h30
Sarau “Rebeldes e aventureiros”, com Biblioteca Goethe Institut e Cirandar.
DIA 30 DE ABRIL, SÁBADO
Praça Alexandre Zachia (bairro Cristal)
Das 09h às 18h
Volta do Povo à Praça: atividades culturais e lançamento do livro Imagens faladas – uma reportagem fotográfica sobre a memória do bairro Cristal: Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo, Cirandar, Dulcinéia Catadora, Cidade Poema, Clube de Mães do Cristal, Levante da Juventude e Cabaré do Verbo.
Letras & Cia – Avenida Osvaldo Aranha, 444 – Bom Fim – 51 3225-9944
11h
Mesa Matérias e memórias de poesia: Ricardo Silvestrin, Nicolas Behr e Edson Cruz.
Lançamento: “Bagaço da Laranja” (Nicolas Behr)
Lançamento: ‘Musa rara – literatura e adjacências” (www.musarara.com.br), editador por Edson Cruz
14h30
Mesa Políticas públicas para o escritor, o livro, a leitura e a literatura: Fabiano Santos (Ministério da Cultura), Jeferson Assunção (Secretaria de Estado da Cultura) e Ademir Assunção (poeta e editor da Coyote)
16h30
Mesa Uma História da literatura brasileira: Carlos Nejar e Luiz Horácio
Lançamentos: “História da literatura brasileira” e “Viventes” (Carlos Nejar)
18h54
A melhor maneira de dizer tudo em 6 minutos: leitura de poemas com Diego Grando.
19h
Mesa Poéticas do conto: Deonísio da Silva, Charles Kiefer e Miguel Sanches Neto
Lançamentos: “Contos reunidos” (Deonísio). “Então você quer ser escritor?” (Miguel) e “Poética do conto” (Kiefer)
DIA 01 DE MAIO, DOMINGO

Palavraria – Rua Vasco da Gama, 165 – Bom Fim – 51 32684260
15h
Mesa Poesia no livro, no palco e na web: Horacio Fiebelkorn, Ramon Mello e Ademir Assunção
16h54
A melhor maneira de dizer tudo em 6 minutos: leitura de poemas com Ramon Mello
17h
Mesa Poesia hispânica e brasileira em traduções e publicações Virna Teixeira, Douglas Diegues e Cristian De Nápoli
18h24
A melhor maneira de dizer tudo em 6 minutos: leitura de poemas com Cristian De Nápoli
18h30
Mesa Novos autores: realismo na literatura ainda é possível? Vinícius Castro e Daniela Langer. Mediação: Luciana Thomé

Pé Palito Bar – Rua João Alfredo, 577 – Cidade Baixa – 51 9641-4278
20h30
Festa
Lançamentos: coletânea “O Melhor da Festa Volume 3“ e livros de Virna Teixeira, Douglas Diegues, Horacio Fiebelkorn, Cristian De Nápoli, Ademir Assunção.
Entrega do II Prêmio Artistas Gaúchos (um prêmio criado por artistas gaúchos para reconhecer aqueles que fazem pela arte local. Informações: www.artistasgauchos.com.br)
Lançamento da antologia F.E.L (Fora do eixo literário, do coletivo Soma)
Leituras: Ademir Assunção, Horacio Fiebelkorn, Cristian De Nápoli, Douglas Diegues, Lúcia Santos, Virna Teixeira, May Pasquetti e 5XClarice
Show: Coletivo Avalanche
DIA 02 DE MAIO, SEGUNDA-FEIRA

Palavraria – Rua Vasco da Gama, 165 – Bom Fim – 51 32684260
18h30
Mesa Literatura policial: Tailor Diniz, Samir Machado e Paulo Wainberg Mediação: Carlos André Moreira
20h
Mesa Cidades inventadas, cidades que inventamos: Carol Bensimon e Daniel Galera. Mediação: Flávio Wild

Casa de Cultura Mario Quintana – Rua dos Andradas, 736 – Centro – 51 3225-9587
20h Teatro Bruno Kiefer
Show dos PoETs, com gravação de DVD e abdução de Antonio Cicero
DIA 03 DE MAIO, TERÇA-FEIRA
Letras & Cia – Avenida Osvaldo Aranha, 444 – Bom Fim – 51 3225-9944
18h30
Mesa Adaptações de obras clássicas e a formação de novos leitores: Paula Mastroberti, Caio Riter e Izaura Cabral. Mediação: Daniel Weller
19h54
A melhor maneira de dizer tudo em 6 minutos: leituras do grupo Nos Lemos
20h
Palestra-entrevista: “Um outro pastoreio” e as novas formas narrativas: Rodrigo dMart e Índio San. Entrevistador: Augusto Paim
Cinebancários – Rua General Câmara, 424 -Centro – 51 3433-1204
19h
Malditos cartunistas: exibição do documentário. Após, debate com Fábio Zimbres, Chiquinha, Daniel Paiva e Daniel Juca (diretores do filme)
Matita Perê Bar -Rua João Alfredo, 626 -Cidade Baixa – 51 3372-4749
21h
Mesa Crônica, oficinas de crônica e sarau Santa Sede: Rubem Penz, Sergio Napp e Cláudia Laitano
DIA 04 DE MAIO, QUARTA-FEIRA
Casa de Cultura Mario Quintana – Rua dos Andradas, 736 – Centro – 51 3225-9587
17h30 Galeria Augusto Meyer
Mesa e abertura da exposição Design da cultura/cultura do design: Fabriano Rocha, Samir Machado, Flávio Wild e Vitor Mesquita
19h
Quintana’s bar (Mezanino) Mesa Literatura nas HQs: Claudio Levitan, Eloar Guazzelli e Carlos Ferreira
20h30 Café dos Cataventos
Santa Maria sempre chama para Festa (como e porque festejar um Bloomsday no RS): Aguinaldo Severino, Lu Thomé, Samir Machado e Antonio Xerxenesky
Casa de Teatro – Rua Garibaldi, 853 – Independência – 51 3029-9292
22h
Sarau do Bertoldo em homenagem a Antonio Cicero: Bianca Obino, Diego Petrarca, Cris Cubas, Lorenzo Ribas, Andréia Laimer, Ricardo Silvestin e Sidnei Schneider
DIA 05 DE MAIO, QUINTA-FEIRA
Casa de Cultura Mario Quintana – Rua dos Andradas, 736 – Centro – 51 3225-9587
17h
Auditório Luis Cosme Mesa Canção e letra de canção: Antonio Cicero, Frank Jorge e Felipe Azevedo (mediação)
18h30
Auditório Luis Cosme Mesa Satolep-São Luís, a literatura e a música de Zeca Baleiro e Vitor Ramil. Mediação: Guto Leite
20h
Quintana’s bar (Mezanino) Mostra Artística Cabaré do Verbo: escritores e músicos convidados da FestiPoa Literária. Lançamentos: l’amore no”, de Leonardo Marona, e “Poesia sem pele”, de Lau Siqueira.
DIA 06 DE MAIO, SEXTA-FEIRA
Casa de Cultura Mario Quintana – Rua dos Andradas, 736 – Centro – 51 3225-9587
16h30
Auditório Luis Cosme Portuguesia: apresentação Wilmar Silva
17h
Auditório Luis Cosme Portuguesia: E. de Melo e Castro – intervenção e leitura de poemas. Provocador: Luis Serguilha.
Lançamento de “Neo-poemas-pagãos” (E. de Melo e Castro)
18h
Auditório Luis Cosme Portuguesia: Guesas livres: Sandro Ornellas, Leonardo Marona e Ronald Augusto
18h30
Auditório Luis Cosme Portuguesia: A Poesia em transe: imaginários de resistência: Reynaldo Bessa, Luis Serguilha, Wilmar Silva. Provocador: Ronald Augusto
OX/Ocidente – Avenida Osvaldo Aranha, 960 – Entrada pela Rua João Teles – Bom Fim – (51) 3312-1347
20h30 às 23h
Sexta Básica: leituras e shows: Lima Trindade, Sandro Ornellas, Telma Scherer, Reynaldo Bessa, Marcelo Sahea, Maria Rezende e CasaMadre
DIA 07 DE MAIO, SÁBADO
IEL (Instituto Estadual do Livro) – Rua André Puente, 318 – Indepêndência – 51 3311-7311 – 51 3311-7299
10h30
Mesa Medula de diálogos: Experiências de linguagem & Imaginários de resistência: Sandro Ornellas, Maria Rezende, Telma Scherer e Rodrigo Garcia Lopes
12h
Guesas livres: Reynaldo Bessa, Marco de Menezes, Maria Rezende e Telma Scherer
14h30
Lançamento do livro “Koa’e”, de Luis Serguilha, e diálogos com Jane Tutikian e Maria Luiza Berwanger
16h
Lançamento da contraantologia “Portuguesia” (org. Wilmar Silva)
Bamboletras – Rua Gal Lima Silva, 776 – Cidade Baixa – 51 3221-8764
15 às 18h
Festinha Cidade Poema: Laís Chaffe, Marô Barbieri, Christina Dias, Alexandre Brito, Celso Gutfreind e Sandra Santos

Palavraria – Rua Vasco da Gama, 165 – Bom Fim – 51 32684260
16h30
Mesa A literatura em publicações culturais: Rogério Pereira (jornal Rascunho), Victor Nechi (revista Norte) e Lima Trindade (revista Verbo21)
18h
Leitura dramática “Pedrarias” (Roberto Medina): Grupo teatral Ninho de Escorpiões (Andréia Vargas, Cibele Tubino, Daniel Anillo, Paula Hahn e Luciano Teixeira; participação especial da cantora Carla Zambiasi)
18h30
Lançamento e sessão de autógrafos de “Matinta, o bruxo”, com Paulo César Pinheiro

Casa de teatro – Rua Garibaldi, 853 – Independência – 51 3029-9292
20h30
Mesa Humor sempre humor: Adão Iturrusgarai, Laerte e Xico Sá.
Lançamentos: Aline e Antrologia (Adão), Muchacha (Laerte), Chadabadabá (Xico Sá) e Ordinário (Rafael Sica)
23h
Macbar: drama e riso – leituras improvisadas de Macbeth: Reginaldo Pujol Filho, Xico Sá, Marcelino Freire, Lu Thomé e Altair Martins 
DIA 08 DE MAIO, DOMINGO

Palavraria – Rua Vasco da Gama, 165 – Bom Fim – 51 32684260
14h30
Palestra de E. de Melo e Castro: O Paganismo em Fernando Pessoa e sua projeção no mundo contemporâneo.
16h
Lançamento da revista Coyote e pocket show com Rodrigo Garcia Lopes (poeta e editor da Coyote)
16h26
A melhor maneira de dizer tudo em 6 minutos: leituras de poemas com Eliana Mara Chiossi.
16h30
Mesa Música e palavra na boca de poeta: Everton Behenck, Botika e Marcelino Freire


Beco – Av. Independência, 936 – Independência – 51 3028-7160
19h
Performance sonora NeoNão Poesia Biosonora: Wilmar Silva e Fracesco Napoli
19h30
Mesa-homenagem a Laerte: Paulo Scott, Fábio Zimbres, Rafael Sica e Chiquinha
20h30
Lançamentos: “O Minotauro e o monstro” (Laerte e Paulo Scott) e “A agramaticidade das feridas do coração” (E. de Melo e Castro), publicações do coletivo Dulcinéia Catadora
21h30
Festa de encerramento Shows: Banda Rocartê, Ronald Augusto Trio. Espetáculo A timidez do monstro, com Paulo Scott, Flu, Mauro Dahmer e convidados.

DIA 14 DE MAIO, SÁBADO (RESSACA DA FESTIPOA 2011)
Usina do Gasômetro – Avenida Presidente João Goulart, 551 – Centro – 51 3289-8140 e 51 3289-8146
16h Sala P.F. Gastal:
Entrega do prêmio do concurso de fotografia Imagens da ficção
Livraria Cultura – Avenida Túlio de Rose, 80 – Passo da Areia – 51 3028-4033
19h
Show Tamburilando canções: Felipe Azevedo violão com voz. Lançamento do CD e Hot-site interativo
23
abr
11

A crônica de Mariana Ianelli: Depois do último dia

.

.

Depois do último dia

por Mariana Ianelli

 

Quando as chaves giravam nas portas era a mesma pergunta para El Djohar Akrour e suas companheiras de cela: “Hoje somos nós?”. Da pequena janela dava para ouvir a guilhotina sendo montada lá fora. Isso foi há mais de cinqüenta anos e El Djohar ainda se lembra das correntes nas mãos e nos pés. Como ela, muitos outros que participaram da guerra pela libertação da Argélia passaram pelo corredor da morte.  Alá Akbar, gritavam os que iam para a guilhotina, Alá Akbar, respondiam os condenados de dentro das celas.

Os que receberam indulto agora se lembram. Lembram das noites sem dormir, das orações, das canções, dos lamentos, lembram de jejuar um dia depois da execução de um condenado que poderia te r sido qualquer um deles. Não estavam mais sendo punidos por um crime, estavam levando sua resistência até o cúmulo do sacrifício. Tinham já cruzado o limite das intrincadas questões, das circunstâncias delicadas, dos pequenos problemas a serem resolvidos. Chegaram tão perto do último dia que foi como terem se queimado numa profecia. Lembram de subir nos ombros uns dos outros até a janela engradada no alto da cela porque o que era feito lá fora era feito por eles, a montagem da máquina de calar os insurgentes. Lembram do peso do silêncio, horas longas para cumprir gestos mínimos, aqueles  gestos de todos os dias, cegos,  repetitivos, gestos de que ninguém normalmente se dá conta porque são mecanismos de rotina, absolutamente insignificantes se desta vez não tivessem a consistência de uma vida.

Isso aconteceu durante os anos de terrorismo que encarniçaram a luta entre argelinos e franceses. Quando uma cidade acordava às quatro horas da manhã para acompanhar um dos condenados, quando uma lâmina bem oleada trespassava uma cabeça e as mulheres da casbá respondiam com preces e cantos. Isso aconteceu mais de um século depois de Victor Hugo ter publicado O Último Dia de um Condenado, seu manifesto literário contra a pena de morte, “esse direito exorbitante que a sociedade se outorga, de poder subtrair o que não deu”.

.


Ilustração de Alfredo Aquino


.

Publicado em Vida Breve

Mariana Ianelli nasceu em 1979 na cidade de São Paulo. Poeta, mestre em Literatura e Crítica Literária, é autora dos livros Trajetória de antes (1999), Duas Chagas (2001), Passagens (2003), Fazer Silêncio (2005), Almádena (2007) e Treva Alvorada (2010), todos pela editora Iluminuras. Como resenhista, colabora atualmente  para os Jornais O Globo – Prosa&Verso (RJ) e Rascunho(PR). Saiba mais sobre a autora em seu blog http://www2.uol.com.br/marianaianelli/

.

20
abr
11

A prosa ligeira de Jaime Medeiros Jr.

.

.

 

16/04/11 – 19h – Palavraria – Livros & Cafés, por Jaime Medeiros Jr.

 

Hoje passo a ter mais um motivo de viver com menos inveja da Clásica y Moderna, de Buenos Aires, me confessa Luiz Heron [um dos sócios do empreendimento Palavria Livros & Cafés]. Bianca canta. E, sobretudo, Bianca diz com propriedade o que quer dizer. Ela não se perde entre a retórica musical e a semiótica de Tatit, pois pra além de tudo, Bianca sabe como nos situar no terreno do verossímil, arte é artifício, mas só importa mesmo quando se esquece de fingir. Não por querer forjar uma correspondência perfeita aos fatos, que, sabemos, já nos foram entregues maculados pela percepção. Mas, porque algo nisto tudo, que é Bianca cantar, nos aponta, nos remete a algum lugar, que eu, que nada sei, gostaria de dizer que não há. Contudo, isto seria somente retórica. E eu acredito em Bianca, que me fez e me faz amar aquele lugar.

###

Matheus Kleber

me perdoa o entusiasmo com Bianca. É deslize de aficionado. Tudo no show estava no seu lugar. Apesar do pouco ensaio. Apesar dos contratempos. Tudo foi fino entendimento. Fino fio de memória que sempre nos liga, e que aqui nos liga a Piazzola. E que por fim nos tece a fina trama de artesão da qual Bianca nos fala.

###

People

me perdoem o entusiasmo. É deslize de aficionado. Mas é importante saber que neste dia [o dia internacional da voz] ganhamos voz. E nela e com ela podemos nos reconhecer. Voz que como fogo nos alumia e incendeia, e que nos deixa, assim, prontinhos pra, das cinzas, lindinhos e estalando de novos, poder renascer.

Jaime Medeiros Jr. é poeta portoalegrense (1964), pediatra. Autor do livro de poemas Na ante-sala. Mantém os blogs Tênues Considerações e O Arco da Lira.

A prosa ligeira de Jaime Medeiros Jr. aparece neste blog quinzenalmente às quartas-feiras.

.




abril 2011
S T Q Q S S D
« mar   maio »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Categorias

Blog Stats

  • 617,854 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com

%d blogueiros gostam disto: