Arquivo para 25 de agosto de 2013

25
ago
13

Aconteceu na Palavraria, neste sábado, 24, o Lançamento do CD Artesã, de Bianca Obino (Especial 10 anos da Palavraria)

.

aconteceu

.

Aconteceu na Palavraria,  neste sábado, 24, o Lançamento do CD Artesã, de  Bianca Obino. Com as participações especiais de Mônica Lima (violoncelo), Killy Freitas (violão) e Elaine Regina ( tradução em Libras). (Especial 10 anos da Palavraria). Fotos do evento.

.

bianca - artesã 01.

bianca - artesã 02bianca - artesã 03bianca - artesã 04bianca - artesã 05.

.

.

.

.

.

bianca - artesã 06bianca - artesã 07bianca - artesã 08bianca - artesã 09.

.

.

.

.

.

bianca - artesã 10bianca - artesã 11bianca - artesã 12bianca - artesã 13.

.

.

.

.

.

bianca - artesã 14bianca - artesã 15bianca - artesã 16bianca - artesã 17.

.

.

.

.

.

bianca - artesã 18bianca - artesã 19bianca - artesã 20bianca - artesã 21.

.

.

.

.

.

Palavraria - livros c.

 

Anúncios
25
ago
13

Programação de 26 a 31 de agosto de 2013a

program sem

.

26, segunda, 19h: Lançamento do livro O que não tem limite: o erotismo na poesia de Chico Buarque, de Leandro Henrique Ortolan. Debate com Charles Kiefer e Maria do Carmo Campos.

leandro henrique ortolanFruto da dissertação apresentada por Leandro como requisito para obtenção de título de mestre em teoria da Literatura na PUC/RS em 2007, o livro enfoca procedimentos construtivos e expressivos de Chico Buarque de Hollanda e dá conta das articulações das letras de suas canções com a política, com a história, com a economia, com a sociedade, entre outros. Destaque-se a variedade de aportes teóricos utilizados pelo autor, que vão da psicanálise, especialmente as noções de princípio de prazer e princípio de realidade, de Sigmund Freud, noções revisadas por Herbert Marcuse, passando pela estilística, pelo formalismo russo, pela sociologia da literatura, pela fenomenologia e pela semiótica, entre outros campos.

Leandro Henrique Ortolan é doutor em Letras pela PUCRS com a tese “As trincheiras, as vazantes, as correntes…. Segredos que ninguém ensina: a construção do perfil psicológico feminino no drama de Chico Buarque de Hollanda”, apresentada em 2011. Em 2007, ele apresentou, também na PUCRS, a dissertação de mestrado “O que não tem limite: o erotismo na poesia de Chico Buarque de Hollanda”, lançada em livro pela EDIPUCRS, em 2012. Atualmente, é professor universitário, e cronista semanal do Jornal Informativo Regional, de Guaporé.

Charles KieferCharles Kiefer é natural de Três de Maio (RS), onde nasceu em 05 de novembro de 1958. Tem mais de 30 livros publicados no Brasil, na França e em Portugal. As editoras Ática, Record e Leya são suas principais casas publicadoras no Brasil. Em 2010, a Editora Leya publicou Para Ser Escritor, obra em que o autor elabora seus mais de 25 anos de experiência como professor de oficinas literárias. Charles Kiefer é professor de Escrita Criativa, Produção de Textos Poéticos, Oficina de Criação Literária e Conto Brasileiro: Teoria e Prática, na PUCRS, e orientador de oficinas literárias particulares.

Doutora em Letras pela Universidade de São Paulo, Maria do Carmo Alves de Campos foi professora de Literatura Brasileira da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora, ensaísta e poeta, é organizadora do livro João Cabral em perspectiva (Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1995); e autora de, entre outros, matinas & bagatelas: poemas (São Paulo: Ateliê, 2002); O olhar do caminho: Santiago de Compostela, (poesia e fotografia, em parceria com Mauro Paranhos) (Porto Alegre: Mercado Aberto, 2002). Possui dezenas de trabalhos publicados no Brasil e no exterior, incluindo diversos ensaios sobre poesia brasileira, particularmente, Drummond e João Cabral de Melo Neto. Nos últimos anos, tem se dedicado a escrever poesia e a trabalhos em que a poesia entra ao lado de outras artes. Desenvolve paralelamente um projeto de oficinas de leitura criativa. 

.

.

.

27, terça, 19h30: Rayuela, 50 anos de publicação: Bate-papo sobre o romance com Ernani Ssó, Karina Lucena e Liliam Ramos. Mediação: Luis Gonzaga Lopes. Na programação da Festipoa revisitada 2013

ernani ssóErnani Ssó nasceu em Bom Jesus, RS, num ano de neve. Em 1974 entrou para o jornalismo, porque queria ser escritor. Saiu em 75, pelo mesmo motivo. Tem livros para adultos, mas prefere os infantis, porque são mais difíceis de escrever. Chama-se Ernani por causa de um galã de radionovela e Ssó, esse erro de revisão, de maluco, ou para não se sentir muito sozinho, como disse Mário Quintana. Escreve uma coluna semanal de humor, ou coisa parecida, na revista eletrônica http://www.coletiva.net

Karina LucenaKarinaLucena é Doutora em Letras, ênfase nas Literaturas de Língua Espanhola, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Professora adjunta do Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Desenvolve atividades de ensino, pesquisa e extensão nas áreas de Literatura Hispano-americana, Literatura Brasileira e Tradução. Junto com Lilian Ramos, conduz os debates do Evento de comemoração dos 50 anos da publicação de O Jogo da Amarelinha – Rayuela – de Julio Cortázar, do setor de espanhol do Instituto de Letras/UFRGS.

liliam ramosLilian Ramos é Doutora em Letras – Literaturas Estrangeiras Modernas – Língua Espanhola, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS.  Com Karina Lucena conduz os debates do Evento de comemoração dos 50 anos da publicação de O Jogo da Amarelinha – Rayuela – de Julio Cortázar, do setor de espanhol do Instituto de Letras/UFRGS.

.

luis gonzaga lopesLuiz Gonzaga Lopes é repórter de cultura do jornal Correio do Povo.

.

.

.

.

.

28, quarta, 19h: Sarau das 6, Leituras e comentários sobre o livro Autoestrada do sul e outras histórias (L&PM pocket, 2013, tradução de Heloísa Jahn) com Lígia Sávio, Jeferson Tenório e Gabriela Silva. Convidado especial: Sérgio Karam (organizador da coletânea). Na programação da Festipoa revisitada 2013

autoestrada_do_sulQuem pega um livro de Julio Cortázar (1914-1984) pela primeira vez está prestes a adentrar em mundo admirável e único: cheio de personagens estranhos, por vezes kafkianos, mas repletos de um sentimento próximo à ternura e até mesmo ao alumbramento infantil. A partir de experiências cotidianas e rotineiras ele lapidou os tesouros mais surpreendentes, exatos e perturbadores. As histórias aqui reunidas – uma amostra das décadas de produção e criatividade incessantes, em nova tradução – têm isso e algo mais em comum: o fato de jamais subestimarem o leitor. Pelo contrário, o autor o considera uma peça-chave ao qual reserva um lugar de destaque no jogo literário. Após cada conto, sentimos como se uma nova janela houvesse se aberto para nossa compreensão da vida. Como afirmou Vargas Llosa, a literatura de Cortázar “é um refúgio de sensibilidade e imaginação que nos ajuda a fugir da insegurança e do absurdo deste mundo”.

sergio karanSérgio Karam é músico, produtor e apresentador de programas radiofônicos, escritor e ministrante de cursos. Saxofonista, vem dividindo cenas musicais da cidade  com diferentes atores, como o Bando Barato pra Cachorro, Dúnia Elias, Paulo Dorfman e atualmente integra o Seu Conjunto, grupo do músico Arthur de Faria, com o qual gravou os CDs Música pra Gente Grande (1996), Flicts (2000), Meu Conjunto Tem Conserto (2002) e Música Pra Bater Pezinho (2005). Lançou o disco de jazz e música instrumental Caixa de Música (2003) e recebeu o prêmio Açorianos de melhor instrumentista em 2004. Foi programador de música popular, produtor e apresentador de programas de jazz da Rádio FM Cultura de Porto Alegre. Escreveu artigos sobre música e literatura, além de resenhas de discos de jazz, como colaborador, para os jornais Diário do Sul e Zero Hora e para a extinta revista Capacete, de Porto Alegre. É autor do livro  Guia do Jazz (L&PM Editores, 1993). Tem ministrado cursos sobre jazz  na Casa de Cultura Mário Quintana, no Instituto Cultural Brasileiro Norte-Americano, no Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e no Studio Clio.

gabriela silva 02Gabriela Silva. Tem literatura no seu dna. Desde a infância convive com homens e deuses e as histórias que lhe contam. É formada em Letras, estuda o mal e a morte na literatura e todas as teorias conspiratórias e literárias. É doutoranda em Teoria da Literatura na PUCRS, tendo como foco a construção da personagem.

lígia sávioLígia Savio. Amante do poeta francês Rimbaud desde a adolescência, é professora de literatura, do município de Porto Alegre e doutora em Letras pela UFRGS. Participou de antologias independentes na década de 70 (Teia, Teia II e Paisagens) com a participação de Caio Fernando de Abreu e Wesley Coll. entre outros.

Jeferson Tenório 01Jeferson Tenório. É feito de literatura. Professor e apaixonado por Dom Quixote. Premiado no concurso Paulo Leminski em 2009 com o conto “Cavalos não choram” e no concurso Palco Habitasul com o conto “A beleza e a tristeza”, adaptado para o teatro em 2007 e 2008, além de ter tido poemas selecionados no concurso Poemas no Ônibus em 2009. Faz mestrado em literaturas Luso-africanas pela UFRGS

.

.

.

29, quinta, 19h: Lançamento do livro Os deliciosos biscoitos de Oma Guerta, de Maristela Deves (Quatrilho Editorial).

biscoitos - maristela deves

Livro infantil é a terceira obra literária da jornalista. Os Deliciosos Biscoitos de Oma Guerta  reúne elementos clássicos dos contos de fada tradicionais com uma boa dose de cultura alemã. No enredo, a menina Mariazinha adora os biscoitos preparados por Oma Guerta e, em uma das visitas à casa da Oma, ela descobre um segredo mágico escondido por trás dessas delícias. A “Oma” do título é uma palavra alemã que corresponde  a  “avó”. E essa é uma das intenções da obra, apresentar elementos da cultura germânica,  presente em diversas regiões do Estado. Algumas palavras do dialeto estão inseridas durante a narrativa e têm seus significados explicados em um glossário nas últimas páginas. A autora conta que o livro traz características das suas memórias de infância: “Assim como Mariazinha, eu cresci numa família de origem alemã, deliciando-me com os biscoitos, as cucas e os bolos da minha avó, que também morava numa casa bem parecida com a da história”. Essa é a primeira obra infantil da escritora, que já lançou dois  outros livros, o romance policial A Culpa é dos Teus Pais, em 2010, e o livro de mistério infanto-juvenil O Caso do Buraco, em 2011. A obra é ilustrada por Karen Basso. Contemplado pelo Financiarte,  foi lançado pel o selo  Quatrilho Editorial.

Maristela Deves - Foto Carlos PontaltiMaristela Scheuer Deves nasceu em Pirapó, nas Missões, Rio Grande do Sul. Desde pequena, sonhava em ser escritora, e vivia rabiscando histórias. Por isso, decidiu seguir a profissão de jornalista. Formada pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e com especialização em Leitura e Produção Textual pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), trabalha há 15 anos no jornal Pioneiro, de Caxias do Sul, onde  atualmente é editora assistente de Variedades e coordenadora editorial do projeto Seja Jornalista, voltado ao incentivo à leitura e à escrita entre estudantes. Também mantém o blog Palavra Escrita (www.pioneiro.com/palavraescrita). Comanda, de Caxias do Sul, dois blogs para o Portal ClicRBS: o Palavra Escrita, sobre literatura, e o É o Bicho, sobre o mundo animal. Em 2010, lançou seu primeiro livro, o romance policial A Culpa é dos Teus Pais, pela AGE Editora. No ano seguinte, direcionado para o público infanto-juvenil, lançou O Caso do Buraco, pela mesma editora. Agora, com a intenção de incentivar a leitura entre as crianças, aposta na literatura infantil com o Os Deliciosos Biscoitos de Oma Guerta, pela Quatrilho Editorial.

SERVIÇO

O quê: Lançamento do livro Os Deliciosos Biscoitos de Oma Guerta, de Maristela Deves
Quando:  29 de  agosto, às 19h
Onde:  Palavraria (Rua Vasco da Gama, 165, bairro Bom Fim), em  Porto Alegre 

O LIVRO
Título: Os Deliciosos Biscoitos de Oma Guerta
Gênero: literatura infantil
Páginas: 28
Editora: Quatrilho Editorial
Preço de capa: R$ 20

.

.

.

30, sexta, 18h: Lançamento do livro Políticas Públicas para a Gestão Democrática da Educação Básica: Um Estudo do Programa Nacional de Formação de Conselheiros Municipais de Educação, de Neusa Chaves Batista (Paco Editorial)

políticas publicas capaO presente livro traz uma importante contribuição à construção de conhecimento no campo das políticas e da gestão educacional. Analisa a política nacional de formação de conselheiros municipais empreendida pelo governo federal, no período de 2003 a 2008, através do Programa Nacional de Capacitação de Conselheiros Municipais de Educação/Pró-Conselho, uma das muitas ações do Ministério da Educação buscando a efetivação da articulação de um sistema nacional de ensino e do regime de colaboração entre os entes federados, cujo texto se orienta pelo princípio constitucional da gestão democrática. A análise parte do questionamento sobre a efetividade de tal política nacional de formação como indutora do fortalecimento da gestão democrática dos sistemas municipais do ensino, tendo como enfoque o processo vivido no estado do Rio Grande do Sul.

neusa chaves batistaNeusa Chaves Batista possui graduação em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do RS (1999), mestrado em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2002), doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009). Tem experiência na área de Sociologia com ênfase em Sociologia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Estado, democracia e justiça social, políticas públicas para a gestão democrática da educação, conselhos de educação e sistemas de ensino. Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

.

.

.

31, sábado,11h: AGES Entrevista com Marlon Almeida e convidados.

ages entrevista cartazA AGES, em parceria com a Livraria Palavraria e com o programa POESIA BLUES, do poeta Marlon de Almeida, apresenta, ao longo do ano, sempre aos sábados, 20h, uma série de entrevistas, gravadas na Palavraria, com escritores da AGES, falando sobre suas obras e recitando textos escolhidos.

Para saber mais informações de como participar das entrevistas ou detalhes do programa, o contato é marlondealmeida@yahoo.com.br.

O POESIA BLUES (veja aqui) tem sua versão inédita sempre aos sábados, 20h, com reprises ao longo da semana, aos domingos, 11h, terças, 20h, quintas, 10h e as sextas, 17h.

.

.

.

.

31, sábado, 17h: Lançamento do livro Vivi, uma história da arte, de Vivi Pasqual (Editora Modelo de Nuvem)

convite vivi poa
.

Vivi uma história da arte  é um “livro de artista” de Viviane Pasqual. O livro é composto por 100 desenhos da artista, frutos de uma seleção arbitrária de uma História da Arte intuitiva e pessoal, e um texto de apresentação de Jailton Moreira. Vivi uma história da arte é uma publicação de tiragem limitada, numerada e assinada pela artista.  O livro é uma referência crítica a publicações similares do gênero que elenca artistas em listas que se propõe a dar conta de um vasto período histórico.

Viviane Pasqual tem um traço peculiar. Seus desenhos carregam um repertório de temáticas misturado a toques de humor, graça, ironia, irreverência e uma aguçada percepção da realidade. Características somadas ao seu conhecimento teórico, adquirido ao longo de mais de uma década em cursos de História da Arte.

Ficha Técnica:
Livro: “VIVI UMA HISTÓRIA DA ARTE” (Editora Modelo de Nuvem)
Autora: Viviane Pasqual
Editora: Modelo de Nuvem
Financiamento: LIC Municipal Caxias do Sul
Patrocínio: NL – Suporte à Gestão
Nº Páginas: 224

.

.

.




agosto 2013
S T Q Q S S D
« jul   set »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Categorias

Blog Stats

  • 721.797 hits
Follow Palavraria – Livros & Cafés on WordPress.com
Anúncios

%d blogueiros gostam disto: